26.6.14

[Resenha Dupla] A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista :: Jennifer E. Smith

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista
Editora: Galera Record
Páginas: 224
Skoob Goodreads Compare e Compre

Com uma certa atmosfera de Um dia, mas voltado para o público jovem adulto, A probabilidade estatística do amor à primeira vista é uma história romântica capaz de conquistar fãs de todas as idades. Quem imaginaria que quatro minutos poderiam mudar a vida de alguém? Mas é exatamente o que acontece com Hadley. Presa no aeroporto em Nova York, esperando outro voo depois de perder o seu, ela conhece Oliver. Um britânico fofo, que se senta a seu lado na viagem para Londres. Enquanto conversam sobre tudo, eles provam que o tempo é, sim, muito relativo. Passado em apenas 24 horas, a história de Oliver e Hadley mostra que o amor, diferentemente das bagagens, jamais se extravia.

E entrando no clima do mês dos namorados, resolvemos postar apenas resenhas de romances durante esse mês de Junho, e nada melhor do que um livro leve e fofo, certo?


Em lilás = escrito pela Andréia
Em azul = escrito pela Agatha

Que capa fofa!!! Em tons alegres e cheia de desenhos fofos, sem falar claro das pernas sugestivas e do título ENORME, acho que eu nunca vi um nome tão grande para um livro, ele te leva a pegá-lo assim que o vê, e claro que a capa, assim como o livro não deixa a desejar em nada.

Eu já tinha lido várias resenhas elogiando este livro, de nome imenso diga-se de passagem, e já tinha decidido que iria lê-lo porém que seria mais para frente, mas como a tentação gosta de rondar eu acabei caindo na besteira número um de entrar na livraria e na besteira número dois de começar a ler o livro, foi simples assim, não consegui parar mais.

Eu peguei esse livro sem realmente saber o que esperar, sinceramente não tinha expectativas elevadas para com ele, mas estava preparada para um romance bem ‘‘água com açúcar’’; e ele pode sim ser um romance simples, sem muito floreio e todos aqueles dramas para que os mocinhos possam enfim ficar juntos; então acho que foi a forma como foi construído e escrito que me fez gostar dele, mas faltaram algumas coisas para que ele ficasse completo. 

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista (eita título grande) tem como protagonista a americana de 17 anos, Hadley, e é narrado em 3ª pessoa. A estória toda se passa em apenas 24 horas. Tudo começa quando Hadley se atrasa para o voo que a levará à Londres, para o casamento do pai que ela não vê a mais de um ano, com uma mulher que na cabeça de Hadley é a madrasta malvada da história da Cinderela. Porém Hadley se atrasa por 4 minutos, e esses poucos minutos são decisivos na vida dela e no enredo do livro, pois ao chegar ao aeroporto é  informada que o seu avião já decolou e é obrigada a esperar pelo próximo. Cansada de ficar sentada, ela resolve andar, e é então que um britânico muito educado se oferece para carregar sua mala (muito fofo *-*) e ela, mesmo desconfiada, aceita.
Logo em seguida eles começam a conversar e Hadley começa a sentir algo:

''Talvez seja o sotaque ou a maneira interessada como a olha, mas tem alguma coisa nele que faz com que seu coração acelere, que nem quando leva um susto. Talvez seja isso: a situação toda é muito surpreendente. Ficou tanto tempo preocupada com a viagem que não estava preparada para que alguma coisa acontecesse, alguma coisa inesperada. '' 

Acho que não preciso dizer que eles se apaixonam, né?!

E que surpresa o leitor tem quando descobre que eles estão no mesmo vôo. Durante o voo vamos conhecendo mais sobre Hadley e seus dramas familiares e um pouquinho mais sobre Oliver – o britânico fofo. Ela tem muitos momentos de introspecção e isso nos faz entender um pouco sobre o que ela sente pela família, e mais especificamente pelo pai. Mas gostaria que o livro tivesse focado um pouco mais no Oliver, em seus sentimentos e pensamentos e um pouco, muito, menos nos dramas e inseguranças dela que sinceramente, me davam nos nervos e me deixava ansiosa para ver o Oliver novamente. Em certas partes eu tinha vontade de pular os parágrafos em queHadley ficava divagando sobre como ela era uma menina sofrida (¬¬), mas o diálogo entre o casal é divertido, bem escrito e cheio de piadinhas, o que fez o livro valer a pena.

Amei de paixão a Hadley e o Oliver, que nome lindo e o rapaz não deixa a desejar!!!Essa relação entre os dois foi uma das coisas que mais me conquistou neste livro. Muitas vezes as pessoas julgam quando relacionamentos começam muito rápido, dizendo que isso é mais coisa da imaginação do que de fato uma coisa real, mas neste livro temos a prova de que isso não é verdade, podemos sim nos apaixonar perdidamente por uma pessoa em um curto período de tempo. De forma duradoura e arrasadora, de uma maneira que faz seu coração disparar, sua mente derreter e seu corpo esquentar. É exatamente isso que acontece com Oliver e Hadley, um encontra no outro seu par perfeito, a combinação certa e em poucas horas e muitas conversas vemos nascer e crescer algo verdadeiro e belo, no meio de situações conturbadas e locais inesperados. E tudo isso passa beirando o humor que insiste em surgir nos diálogos, das maneiras mais inusitadas possíveis.

Já a relação de Hadley com o pai dela me tocou profundamente, em vários momentos senti vontade de arrumar um jeito de falar com a autora e lhe dizer que ela havia descrito a situação maravilhosamente, de um jeito que eu nunca vi antes, Jennifer conseguiu captar toda a mágoa, a confusão, o medo, o amor e a dor que se seguem após um divórcio. E de maneira comovente nos mostrou que todos merecem uma segunda chance e que nem sempre algo é o que parece, às vezes simplesmente existe uma razão por trás daquilo.

Hadley está passando por um momento de descobertas pessoais, possui um turbilhão de sentimentos conflituosos dentro de si, ela ama a mãe, se sente triste e ressentida por ter sido traída pelo pai e de como a família (composta por Hadley e pela mãe) ficou vivendo depois que ele se foi, frustrada por ter sido forçada a fazer algo que não quer, no caso, ir ao casamento, mas ela ama o pai e sente saudades de como eles compunham uma família feliz, dos bons momentos que tiveram, porém tem raiva pelo que ele fez, por não ter demonstrado um real interesse em resolver a situação e por não ter sido sincero desde o começo. Ela está muito confusa e é nesse turbilhão que Oliver chega, ele foi um bote salva-vidas que ajudou a tirar água emocional que já estava em seu pescoço. Cada um tem uma bela bagagem emocional e passam por momentos complicados e delicados, cada um ao seu jeito. Acho que isso fez com que eles se gostassem mais ainda.

E quanto a Charlotte, já li muitos livros com madrastas e nem sempre desgosto delas, mas é fato que todas tem fama de querer arruinar a vida de seus enteados, contudo Charlotte é diferente, eu a adorei!!! Em nenhum momento senti falsidade ou dupla intenção por trás de suas ações, ela realmente queria se dar bem com Hadley.

Eu achei o romance entre os dois belo porém muito ralo, eu entendo que eles se apaixonaram e que tiveram uma conexão emocional muito grande; e com ''ralo'' eu quero dizer que foi muito pouco descrito e o pouco que teve foi muito rápido, entendem? Eu queria e esperava por mais romance, mais do amor à primeira vista, queria mais Oliver e menos Hadley se lamuriando internamente, exemplo disso é que só descobrimos o motivo da viagem de Oliver no final do livro... sinal de que a protagonista só pensava nela e nos seus mimimis

O foco central do livro é a relação da protagonista com o pai e o quanto a distância e o fato dele ter traído a mãe dela abalou esse relacionamento de companheirismo, e que o romance bonitinho entre os jovens foi apenas um plano de fundo para que a estória não ficasse maçante.

A Probabilidade Estatística do Amor à Primeira Vista é doce e sutil, um romance muito meigo e fofo, e a capa é uma graça! Mas não é apenas uma estória de amor. É sobre família, perdão, recomeço, não julgar pela aparência, que coisas boas podem acontecer até nas piores circunstâncias e que de vez em quando é bom se atrasar por 4 minutos ;)  

''Ela estava quatro minutos atrasada, o que não parece ser muito. É o tempo de um comercial, de um intervalo entre as aulas, de descongelar um prato no micro-ondas. Quatro minutos não é nada. (...) Hadley não acredita em coisas como o acaso ou destino, mas também jamais acreditou na pontualidade das companhias aéreas.''

É uma leitura super rápida, o livro é pequeno. Recomendo a obra para pessoas de qualquer idade, que gostem do gênero Young Adult - Jovem Adulto e de uma bela e simples estória de amor, e podem julgar o livro pela capa, pois ela conseguiu transmitir a sua essência. Para quem quer uma leitura leve, surpreendente, cativante e muito divertida, esse é o livro!!! Esse é aquele tipo de livro que você lê rápido e ao final fica pensando que foi perfeito, simples assim.



2 comentários:

  1. Eu adoro esse livro, acho uma fofura <3
    Li algum tempo atrás em PDF, mas esses dias adquiri meu exemplar, e daqui uns dias vou relê-lo.
    Eu amo essa capa, acho tãooooo linda e bem elaborada *-*

    Beijos!
    Taty Assis

    P.s: Tem resenha nova no blog e Luxúria Literária tbm, o livro da vez é Real da Katy Evans, vem conferir :)
    http://aculpaedosleitores.blogspot.com.br/2014/06/resenha-real.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Taty,
      A capa é linda e a história mt fofa né <3
      Beijos

      Excluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo