30.7.14

[Resenha] Todo dia :: David Levithan

Todo dia #1
Autor: David Levithan
Editora: Galera 
Páginas: 280
Skoob  Goodreads Compare e Compre 
Neste novo romance, David Levithan leva a criatividade a outro patamar. Seu protagonista, A,  acorda todo dia em um corpo diferente. Não importa o lugar, o gênero ou a personalidade, A precisa se adaptar ao novo corpo mesmo que só por um dia. Depois de 16 anos vivendo assim, A já aprendeu a seguir as próprias regras: nunca interferir, nem se envolver. Até que numa manhâ acorda no corpo de Justin e conhece sua namorada, Rhiannon. A partir deste momento, todas as suas prioridades mudam e, conforme se envolvem mais, lutando para se reencontrar a cada 24 horas, A e Rhiannon precisam questionar tudo em nome do amor.
Dono de uma capa simples, tocante e aveludada (que todos dizem que falo errado, pois não são aveludadas), ressalto este detalhe, Todo Dia, logo de cara te chama atenção, com suas nuvens, cores opacas e pessoas flutuantes.

A acorda todo dia num corpo diferente, as vezes mulher, as vezes homem, nunca seguindo um padrão e sempre no corpo de alguém que possui sua idade. Cansado de tentar entender o por que de ele ser assim, de nunca parar, de não ter um corpo seu, A simplesmente decide viver a vida dos outros, por um único dia, sem se apegar a ninguém e sem interferir na vida dessa pessoa, duas regras básicas.

Porém A simplesmente não consegue seguir essas regras quando acorda no corpo de Justin, um rapaz mal humorado que não liga para a vida, e conhece sua namorada Rhiannon, ele se sente completamente cativado por essa menina e como nunca antes quer viver com ela, quer que ela saiba que é ele, A, que está ali com ela e não Justin ou quem quer que seja e assim dia após dia, acordando em corpos diferentes, ele tenta encontrá-la.
"O passado não me ofusca, nem o futuro me motiva. Concentro-me no presente, porque é nele que estou destinado a viver."
Não me considero uma pessoa preconceituosa, revoltada ou desentendida das coisas, mas de jeito nenhum diria que sei de tudo, ainda mais que compreendo como certas coisas funcionam, principalmente se for se tratar do comportamento das pessoas.
Assim, fiquei mais que tocada com a percepção de A, nunca antes encontrei um protagonista que agisse ou pensasse como ele. A não se define como menino ou menina e acredita que não se deve gostar de alguém pensando em parâmetros e sim pelo que ela é, independente de seu gênero. Sua maneira de encarar o amor é inovadora, assim de como encarar a vida.

Por vezes me peguei redefinindo conceitos, e mais vezes ainda me vi encantada ao ter a oportunidade de entender como o mundo é visto de maneira diferente por cada um, de ver como o corpo nos define mais do que percebemos e de como a influência familiar e cotidiana ajuda a construir ou acabar com uma pessoa.

Mais de uma vez A se encontra no corpo de homossexuais e David retrata as emoções e reações de maneira fantástica, nunca antes tinha tido uma compreensão tão abrangente desses sentimentos, e quando A acaba no corpo de um viciado ou de um suicida? Nossa é difícil ler sem se colocar no lugar, sem sentir a angústia e a dificuldade de dar cada passo. Ou quando A se encontra no corpo de pessoas maldosas, nessa hora percebemos a influência dos outros sobre nós, por mais que A resista a maldade que molda o corpo ele ainda se vê lutando contra os pensamentos e ações que o corpo tão acostumado facilmente quer impor à A.

E amei de paixão a relação realista de A com Rhiannon, Levithan nos apresenta a um casal real, com problemas, dificuldades, mas também sonhos, desejos e momentos em que o amor é mais importante que tudo, não foi fácil e com certeza nenhum pouco convencional porém foi totalmente verdadeiro, e achei sensatas e imensamente verdadeiras as reações dela com relação as diversas aparências de A ao longo dos dias.
"Se você olhar para o universo, existe frieza lá. Um vazio. No final das contas, o universo não se importa conosco. O tempo não se importa conosco. É por este motivo que temos que cuidar um do outro."
Chorei com o final, mesmo, muito, aquele tipo de choro que não é motivado pela dor e sim pelo desespero de se deparar com uma verdade assustadora, do inicio ao fim do livro David nos faz amar A, com seu pensamento lógico e caridoso e ele sofreu tanto!!! Passou por poucas e boas e no fim David me apronta isso (sem spoilers)?! Fiquei chocada, triste e um pouco perdida, percebi que o amor é tanto dar quanto receber e que aqueles que amam mesmo tem a decência de se afastar quando é a melhor coisa a se fazer. Foi duro, mas a gente sabe que é real.

A única crítica é o gancho que ele perdeu, no meio do livro nos vemos diante do mistério que é a existência de A, ele até se aprofunda um pouco nisso, porém não há nada que se revele de fato, então isso lhe rendeu uma estrela a menos.

De resto recomendo e recomendo novamente a leitura, principalmente àqueles que gostam do estilo do John Green, ao final você será outra pessoa, simples assim, ok talvez não outra, contudo com certeza será uma pessoa com uma visão de mundo recém ampliada!






12 comentários:

  1. Gostei muito de fazer a leitura desse livro. David Levithan tem uma escrita envolvente, além de sempre trazer enredos criativos e emocionantes.
    Essa é minha primeira vez aqui no seu blog, e eu não posso deixar de elogiar o seu layout e a sua resenha. Achei tudo muito lindo, parabéns!

    http://www.laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Débora e sim, concordo com você, David Levithan escreve de maneira completamente envolvente, adoro ler os livros dele, na verdade me apaixonei por ele em Will & Will e com Todo Dia ele passou a ser um dos meus favoritos. :D
      Bjs

      Excluir
  2. Parabéns pela resenha Agatha! Já li Todo Dia e amei! Foi uma das minhas melhores deste ano! Beijo!

    www.newsnessa.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Vanessa, ele para mim foi um dos melhores presentes de Natal e leitura de Ano Novo rs.
      Bj.

      Excluir
  3. Oi, como está?!
    Li esse livro há pouco tempo e não gostei muito.
    Achei o final uma maldade pura do autor, fiquei decepcionado!
    Além disso, achei que o autor quis forçar a barra com relação ao homossexualismo porque de 50 personagens, 40 eram gays!
    Sem contar, que como você disse, ele criou mistérios que não foram esclarecidos.
    Dei apenas 2 estrelas para esse livro e provavelmente será um livro que não vou reler.
    Seguindo aqui, se puder, retribui :)

    www.enquantoestavalendo.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou bem e você Marcelo?
      Não posso dizer que fiquei decepcionada com o final, na verdade se eu for beem sincera acho que ele condiz com a ideia que o autor quer passar, podia ter sido diferente? Talvez, mas é exatamente por ser do jeito que é que é bom, se fosse diferente talvez o livro não fosse o que fosse, entende?
      Quanto ao homossexualismo, bem cada escritor dá um enfoque, não quer dizer que ele force a barra. ;)

      Excluir
  4. Oi Agatha, tudo bem?
    Também gostei bastante desse livro, e me senti completamente tocada pelas percepções do protagonista, a forma como ele lê e interpreta tantas pessoas diferentes é incrível. Algo que nós faz refletir bastante né?

    Beijos,

    Pah - Livros & Fuxicos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Pah, sim sim, estou bem e você?
      Faz e bastante! Desde o início da leitura você se pega refletindo e eu gosto disso, um livro que abala estruturas rsrs, e quanto a A, ele te surpreende, como uma pessoa tão jovem tem uma visão de mundo tão bela? É incrível.

      Excluir
  5. Oi Agatha, tudo bem?

    Gostei muito da sua resenha. Achei esse livro incrível e me fez pensar em tantas coisas, o livro traz tantos ensinamentos. A forma como A pensa e vê o mundo. Sério, simplesmente amei. E acabei dando as 5 estrelas e favoritando, porque acho que mesmo ele tendo perdido esse "gancho", o foco do livro não era resolver o mistério da vida de A. Também achei o final doloroso, mas foi bem real. Enfim, David Levithan é demais!!

    Beijinhos,

    Rafaella Lima // Vamos Falar de Livros?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rafaella, to bem obrigada. E você?
      Rsrs ele com certeza está nos meus favoritos, mas acho que como uma leitora assídua de ficção científica não pude deixar de ficar me corroendo e me perguntando "Exatamente de onde ele vem?", mas não acho que isso interfira de maneira profunda na estória. Ele é mesmo! Sabe, Rafaella, lançará dois livros novos dele, na verdade "Invisível" já está nas livrarias, e "Garoto encontra Garoto" que ainda não foi divulgado o lançamento mas já tem capa e tudo!
      Bjs.

      Excluir
  6. Olá Agatha!
    Adorei sua resenha, e caramba, esse livro é perfeito *-*
    A cada dia da vida de A era um toque especial, David soube escrever tudo com uma maestria incrível.

    Sobre a mitologia de A e tals, eu achei que ele poderia ter explorado mais, apesar de não ter sido a ideia do livro. Mesmo com essa falha eu não consegui dar menos do que 5 estrelas.

    Gabriel - umpapoentrepaginas.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Gabriel, e sim, ele conseguiu escrever de maneira incrível sobre uma situação única! Claro que ele poderia, mas concordo com você no que diz respeito de não ter sido a ideia do livro e entendo o livro é bom demais mesmo.

      Excluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo