15.1.16

[Livro + Filme] Macbeth

Macbeth: Ambição e Guerra

Com um elenco de peso do qual fazem parte Michael Fassbender, Marion Cotillard e David Thewlis, qualquer um poderia supor que a adaptação de 2015 da tragédia de Shakespeare não seria pouca coisa. E, mesmo assim, eu não esperava tanto. Estamos acostumados a assistir a uma enxurrada de filmes que são para nós uma espécie de lazer, porém alguns alcaam o patamar de arte. Macbeth alcançou.
Em uma das minhas esperançosas buscas por um filme para assistir no cinema, me deparei com Macbeth, estrelando Michael Fassbender e Marion Cottilard. Eu tinha lido Hamlet, do Shakespeare, no final do ano passado e tinha não só gostado muito, mas imaginado como dezenas de adaptações da obra seriam fantásticas. Eu também estava muito curiosa para ler Macbeth logo em seguida porque conhecia uma frase da peça que tinha me encantado desde o momento em que eu a lera em um post no Tumblr. Claro que, para ser sincera, minha vontade de assistir à adaptação cinematográfica se devia mais ao Michael do que aos méritos do livro, mas minha confiança na obra de Shakespeare teve seus 2% de influência. 

Então lá fui eu, começando a ler a peça no carro a caminho do cinema e tentando não ficar com muitas expectativas, visto que adaptações para o cinema tendem a distorcer muito os livros, ainda mais os clássicos que já foram adaptados outras vezes, adicionando efeitos especiais, explosões e aquele bando de exageros hollywoodianos que, para mim, deixaram de ser um atrativo quando eu saí da casa dos quatorze anos. Eu não precisava ter me preocupado. No fim, a adaptação foi tão espetacular que não apenas me deixou com vontade de assistir a todas as outras, como também me fez apreciar a peça escrita pelo Shakespere ainda mais. 

Antes de tudo, a peça:

As peças escritas por Shakespeare, como era normal na época, tendem a economizar quanto a direções de palco e sugestões para os atores. Macbeth, apesar disso, teve muito mais emoção do que eu estava esperando. Como disse antes, eu já tinha lido Hamlet, que era mais direto e menos eloquente (ainda que tivesse toda a dramaticidade das tragédias shakespearianas, como qualquer um pode notar pelo tão comentado discurso "ser ou não ser"). Os personagens de Macbeth, porém, a começar pelo próprio Macbeth e por sua esposa, passam a peça toda questionando a própria humanidade, levantando questões sobre a vida e a morte, sobre o bem e o mal, despejando frases de efeito que causam tanto efeito que se tornaram parte da língua inglesa e da cultura moderna

O que está feito, está feito.

 O texto é o ponto forte, cada parágrafo e questão levantada, não exatamente a história como um todo. O que me manteve lendo até o fim não foi a vontade de descobrir o que iria acontecer, mas de ler as próximas palavras que me fariam querer escrever meu próprio livro só para colocá-las na epígrafe. Há muito sobre o que é ser humano em Shakespere e, quando escreveu Macbeth, tenho a impressão que ele nos convidava a olhar na cara de nossos próprios demônios. Além disso, alguns personagens deixaram sua marca na ficção. Lady Macbeth é uma das personagens femininas mais fortes da literatura. Ela não é exatamente uma florzinha delicada, despejando bondade, mas suas palavras ficam com o leitor e ela é tão importante quanto o marido

Sabe-se que Shakespeare se inspirava em fatos históricos para escrever seus textos, mas ele colocava uma boa dose de invenção na mistura. Existiu um Macbeth, rei da Escócia, porém dificilmente ele foi tão cruel quanto o que conhecemos através do autor. Sem contar que fatores como o rei em poder e a plateia tinham influência no que Shakespeare colocava e, principalmente, no que deixava de fora de suas peças. Sendo assim, não acho que a obra dele é a melhor quanto a revelar características de uma época, mas é infalível no que diz sobre o que está além do tempo. 

Finalmente, o filme:

O que primeiro reparei nessa adaptação foi uma mudança pequena em relação ao livro, a adição de uma cena que é a primeira do filme: Macbeth e sua esposa enterram um filho pequeno. O fato de eles terem tido pelo menos um filho que morreu é um detalhe que pode muito bem passar despercebido em uma primeira leitura da peça, mas para o qual eu me atentei depois de ter visto o filme e, realmente, isso foi algo que valeu a pena ser destacado. O fato de que Macbeth não conseguia ter um herdeiro foi uma mágoa que permeou suas ações e as de Lady Macbeth, ao mesmo tempo os redimindo aos olhos do leitor/telespectador. 

Outro acerto dessa adaptação foi optarem por seguir praticamente palavra por palavra do texto de Shakespeare nos diálogos (até pensei que, para quem assiste sem legenda, deve ser difícil acompanhar aquele inglês arcaico) e dar um ar de peça de teatro às cenas, utilizando planos que destacavam certos atores em determinados momentos. Em vez de modificar a peça para transformá-la em um filme atrativo para os amantes de ação, o diretor e os roteiristas fizeram um ótimo trabalho aproveitando o que o texto original tinha a oferecer e, ao mesmo tempo, melhorando o impacto dele com a tecnologia cinematográfica a seu dispor. 


Os cenários e os efeitos na tela de cinema são de tirar o fogo, com planos contrastantes em cores vivas e paisagens que me fizeram desejar ter o poder de atravessar a tela de cinema. O cenário adicionou dimensão ao que já foi estabelecido por Shakespere e por isso é uma experiência única ler (ou reler) a peça depois de assistir ao filme. O que, sem isso, poderiam ser apenas direções de palco se transformam em um castelo decorado à moda da época, ou em uma campina tomada pela neblina. 
Michael Fassbender e Marion Cotillard estavam ótimos em seus papeis, nunca fiquei tão impressionada com uma atuação do Michael e olha que eu amo o cara. Não quero nem pensar no trabalho que deu para memorizar todas aqueles falas, só sei que eu queria poder dizê-las daquele jeito. Existem, obviamente, outras várias adaptações da peça, mas acho difícil deixar de pensar neles dois como Macbeth e Lady Macbeth genuínos. 


Conclusão:

Se você não assistiu ao filme ainda, eu sinto inveja, porque eu bem queria passar novamente pela experiência de vê-lo pela primeira vez. E quanto à peça, é certamente uma que irei reler muitas vezes ao longo da minha vida. Sei que existe um filme produzido pela BBC que é também muito aclamado e ainda vou assisti-lo qualquer dia desses. 

E quanto a você? Já leu alguma coisa do tio Will, já assistiu a alguma adaptação? Eu adoraria saber sua opinião (dá para ver que eu posso falar de Shakespeare até o amanhã, o amanhã, o amanhã).

O amanhã, o amanhã, o amanhã, avança em pequenos passos, de dia para dia, até a última sílaba da recordação e todos os nossos ontens iluminaram para os loucos o caminho da poeira e da morte. Apaga-te, apaga-te, fugaz tocha! A vida nada mais é do que uma sombra que passa, um pobre histrião que se pavoneia e se agita uma hora em cena e, depois, nada mais se ouve dele. É uma história contada por um idiota, cheia de fúria e tumulto, nada significando.

30 comentários:

  1. Olá Luisa!

    Sempre quis ler e ver a adaptação de Macbeth. Vc só me deu mais força para isso. Parabéns pela resenha.

    Bjoss
    http://kelenvasconcelos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Kelen (: Fico muito feliz por ter te dado mais forças, acho que esse livro merece demais ser lido. E é bom saber que temos boas adaptações disponíveis caso a pilha de leitura esteja grande demais, né? Bejos!

      Excluir
  2. Oi, Luisa. Não vi esse filma, quanto a peça, já li trilhões de vezes, a primeira vez que li, tinha 15 anos e emendei com Otelo e sonho de uma Noite de Verão, depois, no dia seguinte, li novamente, a última vez que li, foi ano passado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie, Kelen! Nossa, eu queria ter fôlego para sair emendando uma peça atrás da outra, vontade não falta. Otelo é a próxima na minha lista, mas estou tão apaixonada por Macbeth que acho difícil mesmo o Shakespere se superar pra mim. Beijos

      Excluir
  3. Olá!

    Não vi o filme nem a peça, mas conheço mais ou menos a trama. Acho que, dos filmes, o melhor deve ser o da BBC, me parece ser mais fiel e com menos efeitos especiais made in Hollywood. Como é de época, que é um gênero que não curto, então não o veria, mesmo sendo um clássico universal.

    resenhaeoutrascoisas.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Kamila (: Sim, o da BBC parece ser mais fiel mesmo. Eu comecei a assistir e gostei bastante também, é mais cru do que esse com o Michel, mais longo também, com um visual mais de teatro. Com uma peça boa como Macbeth, acho que quanto mais adaptações eu assistir, melhor! Tomara que algum dia você mude de ideia sobre cenários de época. Eu sou apaixonada *-* Bjs

      Excluir
  4. Luisa, a única adaptação que assisti e o livro que li de Shakespeare foi Romeu e Julieta, mas já estava morrendo de vontade de ver esse filme, depois dos seus comentários a vontade triplicou.
    Sem contar que quero ler tudo que conseguir dele.

    Lisossomos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Menina, sabe que eu nunca vi Romeu e Julieta? Antes de Macbeth, o mais perto que eu tinha chegado de uma adaptação de Shakespeare era Dez Coisas Que Eu Odeio Em Você. Mas agora estou querendo transformar 2016 no meu ano shakespeareano, se você me acompanhar podemos tentar transformar isso em uma coisa nacional ;) Beijos!

      Excluir
  5. Olá!

    Eu adoro a história de Macbeth, apesar de Hamlet ser a minha preferida, e não fazia ideia de que tinham lançado um filme novo com a trama! Já vou procurar para ver agora mesmo! Obrigada pela dica!

    Beijos!
    Participe do Book Tour de O Caminho Certo
    http://www.mademoisellelovesbooks.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey! (: Eu gosto do personagem Hamlet mais do que do personagem Macbeth (nenhuma surpresa aí, né?), mas a peça de Macbeth mexeu muito mais comigo, apesar de eu adorar as duas. Espero que curta o filme, eu gostei tanto que fico até com medo de pecar na crítica por conta do entusiasmo. Beijos!

      Excluir
  6. Eu adoro essa peça! Foi uma das obras de Shakespeare que mais gostei (sim, gostei mais do que R e J). Ainda não tive oportunidade de ver essa nova adaptação em filme, mas pela sua descrição, parece que foi bem feita. Irei procurar para comparar com o que sei da obra. Ficou um texto muito bom!! XD
    Até + ver! Nu.
    As 1001 Nuccias | Curtiu?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa peça é <3 Tomara que você também goste do filme, o consolo é que se você achar que adaptação foi ruim, o Michael Fassbender continua sendo ótimo (e lindo!) Bjs e obrigada *-*

      Excluir
  7. Oiii!

    Aaah eu não conhecia :O Só por nome, adorei sua resenha mega bem escrita e muito bem trabalhada! Acho que o nome de Shakespeare pode chamar muita atenção das pessoas pro bem ou pelo preconceito de ser classico. Gostei muuuito do seu post! Parabéns!

    Beijinhso

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie (: Pois é, eu não conhecia quase nada da história antes de assistir ao filme e agora não sei como consegui isso, Macbeth é uma leitura importantíssima. Concordo com você que o nome de Shakespeare chama atenção de um jeito que pode ser positivo ou negativo, muita gente tem trauma de clássico, o que é uma pena. Muito obrigada pelos elogios e por comentar aqui, fico mega feliz que tenha gostado do post *-* Beijos!

      Excluir
  8. Oi Luiza, nunca li Macbeth e ainda não vi o filme. Depois de ver essa paixão que você descreve ao citar o livro fiquei empolgada! Ótima resenha!Bjs e até mais!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Mila (: Tomara que veja o filme e tire suas próprias conclusões, vou ficar torcendo para você gostar e, de quebra, dar uma chance para a peça também. No fim, eu ainda estou tão apaixonada por ambos que não consigo pensar que alguém possa não gostar. Beijos!

      Excluir
  9. Oiii
    Quero muito ler o livro. Na verdade quero ler todas as peças do Shakespeare.
    Quero ver o filme também, mas só verei após lero livro!
    Bjus

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie! A ordem nem importa tanto (algumas histórias são maiores do que spoilers, tanto que a minha versão dessa peça vem com um resumão cheio deles no início) e estou contigo na vontade de ler tudo de Shakespeare. Boa sorte para nós! Bjs

      Excluir
  10. Oi, tudo bem?
    Nunca li Macbeth e nem sei quando conseguirei, mas já quero ver o filme para conferir a atuação do Michael e os cenários e tudo o mais!
    Bjs

    http://a-libri.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Macbeth é tranquilo de ler junto com outros (eu li mais ou menos junto com uns quatro outros livros), a história é simples apesar dos diálogos elaborados, então você sempre pode ler só um pouquinho por semana e ainda vai lembrar do que aconteceu antes na trama. Mas talvez seja uma boa ideia ver o filme primeiro, assim você já vê se é o seu tipo de história. E vê o Michael, claro (e os cenários, mas cenário tem em todo filme kkk). Beijos!

      Excluir
  11. Oi Luisa, tudo bom? Então, eu li Hamlet, assim como a maioria das pessoas hahahaha mas sempre tive curiosidade para ler Macbeth também. A minha dúvida agora é uma só: leio ou assiso o filme primeiro? Geralmente eu opto por começar com o livro, mas depois da sua resenha que fala da fidelidade ao livro já não sei mais kkkk Bjossss


    http://porredelivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie! Eu vi o filme primeiro e funcionou para mim, gostei de ter uma base em relação aos cenários e vestimentas antes de ler a peça, já que não estou acostumada a ler coisas dessa época. Com essa peça não tem aquela coisa de você perder a vontade porque já sabe da história. Eu gostei muito de retomar algumas passagens do filme na hora da leitura, de prestar atenção em determinadas frases. Claro que, no fim, varia muito de pessoa para pessoa. O importante é que tanto o filme quanto a peça são excelentes. Beijos!

      Excluir
  12. Oiie
    Nossa, parece ser uma filme muito bom mas antes quero ler o livro, talvez demore muito mais um dia tomo coragem haha ótima resenha e dica

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi!
    Na minha humilde opinião, Macbeth é o melhor trabalho de Shakespeare e fico feliz em saber que o filme o retratou tão brilhantemente.
    Bjs!
    Quem Lê, Sabe Porquê

    ResponderExcluir
  14. Oiiie,

    Acredita quede Shakespeare só li Romeu e Julieta?! rs Não conhecia essa obra e nem e nem o filme, e o filme é meio difícil assistir pois não tem cinema aqui na minha cidade :/ Mas assim que puder quer logo ler tanto o livro quando o vê o filme.

    Bjs

    Amantes da Leitura

    ResponderExcluir
  15. Oi Luísa!
    Olha, apesar de conhecer algumas histórias de Shakespeare, não li nenhum de seus livros.
    Fiquei feliz pela adaptação do livro ao filme, é bom quando ele está nas nossas espectativas. Talvez eu veja o filme hoje mesmo!
    Beijos,
    ABCD dos Livros.

    ResponderExcluir
  16. Adoro Shakespeare e já assisti varios filmes de suas obras ou sobre elas, mas ainda nao vi macbeth, acredita???
    Acho os textos incríveis - e tenho esse livro da foto. E adoro assistir peças no teatro. Pena que por aqui não tem muito.
    Dica anotada e já no final de semana darei um jeito de arrumar tempo para ver o filme :)
    Beijinhos,
    Lica
    amoreselivros.com.br

    ResponderExcluir
  17. OOii
    Adorei a forma como vc fez a sua resenha.
    Ainda não tive a oportunidade de ver o filme, que na verdade nem sabia que existia, assim como ainda não li a peça. Mas como todos acho que conheço toda a historia de Macbeth por causa da escola haha

    beijos
    Mayara
    Livros & Tal

    ResponderExcluir
  18. Olá!
    Eu nunca li nem vi nenhuma adaptação dele, mas depois da sua resenha vou correndo ver o filme. Amo história medievais, elas são tão ricas em detalhes. As roupas e costumes daquela época me fascinam.
    A sua resenha está maravilhosa.
    Beijinhos!
    http://www.eraumavezolivro.com.br/

    ResponderExcluir
  19. Olá

    Nunca li nada do autor,também não vi o filme,só conheço de ouvir falar,mas achei interessante, gostei da sua resenha, vou anotar a dica pra ver se consigo ler o livro ou pelo menos ver o filme.

    Bjss

    ResponderExcluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo