23.3.16

[Resenha] Eu, Você e a Garota que vai Morrer :: Jesse Andrews

Eu, Você e a Garota Que Vai Morrer
Autor: Jesse Andrews
Editora: Rocco
Páginas: 288
Livro que deu origem ao filme vencedor do Festival Sundance 2015, nas categorias Público e Crítica, com estreia marcada para 12 de junho nos EUA, Eu, você e a garota que vai morrer é uma mistura perfeita entre drama e humor e um retrato preciso da adolescência em face do amadurecimento. Na trama, Greg tem apenas um amigo, Earl, com quem passa o tempo livre jogando videogame e (re)criando versões bastante pessoais de clássicos do cinema, até a sua mãe decidir que ele deve se aproximar de Raquel, colega de turma que sofre de leucemia. Contrariando todas as expectativas, os três se tornam amigos e vivem experiências ao mesmo tempo tocantes e hilárias, narradas com incrível talento e sensibilidade. Crossover com enorme potencial no segmento young adult, o romance é perfeito para fãs de livros e filmes como A culpa é das estrelas e As vantagens de ser invisível.
Eu, Você e a Garota Que Vai Morrer é uma história narrada por Greg, um menino de 17 anos que odeia o ensino médio e por isso tem como principal função na vida passar despercebido por todo mundo na escola. A ideia de Greg é que ao dar oi para todo mundo, não ter uma grande conversa com ninguém e não comer na cafeteria, ele fica livre de qualquer pessoa que o odeie e o incomode. Assim, Greg acaba sem nenhum amigo de verdade, com exceção de Earl.

Earl é o único amigo de Greg e eles se conhecem desde pequenos e consideram sua relação mais como um "trabalho de equipe" do que amizade. Apesar de não conversarem na escola, eles se identificam muito um com o outro e passam a maior parte do tempo que saem juntos fazendo filmes - que até eles mesmos consideram horríveis. Os meninos gostam de assistir filmes e fazer um "remake" dos que mais gostaram, mudando apenas alguns detalhes para adaptar ao elenco de duas pessoas que eles possuem.

É no último ano de Greg na escola que sua mãe o obriga a fazer visitas e se aproximar de Rachel, que foi recentemente diagnosticada com leucemia. Contra sua vontade, Greg acaba passando a visitar Rachel regularmente e criando um tipo de amizade com ela mesmo que a menina esteja só piorando e começando a quimioterapia. Não, esse não é um livro de romance. Rachel gosta da presença de Greg, é uma das únicas pessoas que ri das piadas dele e também se diverte bastante vendo os filmes que Greg e Earl fizeram juntos. Porém, é um livro mais voltado para a amizade do que, por exemplo, A Culpa É Das Estrelas.
"Então há uma chance de pensarem: 'Sensacional! Vai ser uma história sábia e perspicaz sobre amar, morrer e crescer. Provavelmente vai me fazer chorar literalmente o tempo todo. Já estou muito empolgado!' Se essa é uma representação fiel dos seus pensamentos, talvez vocês devessem jogar este livro na lixeira e, então sair correndo."
O livro gira em torno dessa amizade criada entre os três personagens principais e é escrita em primeira pessoa. O ponto de vista de Greg, o narrador, também é mostrado de forma diferente do normal: o livro se desenvolve e alterna entre pequenas narrativas, listas, scripts de filmes e diálogos mais longos. É um livro rápido e fácil até por conta de não ter muitas páginas apenas com descrições.

É um livro sobre algumas aventuras para todos os adolescentes que não se encontraram no ensino médio. É para aqueles momentos em que você quer ler alguma coisa simples e rápida, que te distraia por algumas horas com piadas e amizades.
"- Oi.- Ei.- ...- Eu telefonei para o médico, e ele disse que você precisava de uma receita de Greg-acil.- E isso é o quê?- Sou eu."
Tenho que admitir que, apesar de ter dado risada de alguns pontos na história, esse livro me decepcionou um pouco. Eu acabei achando Greg um pouco egoísta demais e e eu achei suas piadas geralmente mais sem graça do que a proposta inicial do livro. Além disso, é triste dizer que Rachel não parece ter uma importância tão grande no livro e é tida mais como uma personagem secundária, sem muitas opiniões.

Por outro lado, o próprio escritor do livro também escreveu a versão cinematográfica da história, que estreou em 2015 no Sundance Film Festival e ganhou prêmios da audiência como melhor drama. Eu também vi o filme depois de ler o livro e tenho que dizer uma coisa que raramente admito: eu achei o filme melhor do que o livro. Na versão dos cinemas, Rachel tem um papel muito mais importante e o próprio Greg não me pareceu mais tão egoísta assim. Nessa versão sim, podemos ver a amizade deles florescendo e o enredo ganhando vida.

Pra quem ficou curioso, fica aqui o trailer do filme:



E vocês, já leram o livro ou viram o filme? Qual deles vocês gostaram mais?




1 comentários:

  1. Ooi, Bruna!
    Gostei muito da sua resenha, além de ser bem escrita, ela está direta e bem sincera =D
    Eu conhecia o livro, mas nunca li. Eu não sabia que tinha filme! Vou ver se consigo assistir ^-^
    Beijos!

    ResponderExcluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo