29.7.16

[Resenha] O que há de estranho em mim :: Gayle Forman

O que há de estranho em mim
Autora: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Páginas: 368
Ao internar a filha numa clínica, o pai de Brit acredita que está ajudando a menina, mas a verdade é que o lugar só lhe faz mal. Aos 16 anos, ela se vê diante de um duvidoso método de terapia, que inclui xingar as outras jovens e dedurar as infrações alheias para ganhar a liberdade. 
Sem saber em quem confiar e determinada a não cooperar com os conselheiros, Brit se isola. Mas não fica sozinha por muito tempo. Logo outras garotas se unem a ela na resistência àquele modo de vida hostil. V, Bebe, Martha e Cassie se tornam seu oásis em meio ao deserto de opressão. 
Juntas, as cinco amigas vão em busca de uma forma de desafiar o sistema, mostrar ao mundo que não têm nada de desajustadas e dar fim ao suplício de viver numa instituição que as enlouquece.


Ao aceitar uma viagem ao Grand Canyon, Brit não desconfiava que, na realidade, seria deixada pelo seu próprio pai na aterrorizante Red rock, onde os pais colocam seus filhos pensando que irão solucionar certos distúrbios ou comportamentos rebeldes

Basicamente, a Red rock passa uma mensagem pacífica, mas junto a Brit descobrimos que é um lugar instigante, dividido em níveis, quanto maior seu nível, maiores são os seus privilégios, os alunos passam por sessões onde são humilhados, mas isso é necessário para passarem de nível, e precisam trabalhar em pleno sol.

Brit foi diagnosticada com TDO - ‘'transtormo desafiador opositivo’’, mas descobre que isso é comum na Red Rock, ‘’criarem’’ um diagnóstico para que os pais pensem que o filho passa por vários tratamentos. Ela tem mechas coloridas, tatuagens, mora morava com seu pai e sua madrasta (a qual chama de ‘’Monstra’’, pelo seu desgosto pela mulher ), e é vocalista da banda de Rock, Clod.


‘’[...] a gente tem tem um punhado de magricelas que enfiam o dedo na goela para vomitar mais um tanto de obesas com pais que acham que um reformatório é mais ‘'terapêutico’’ do que uma clinica de emagrecimento.’’


A partir daí, ela precisa aprender como é a vida naquela péssima ‘'escola’’, com seu comportamento rebelde, ela não agrada aos funcionários, mas logo já tem várias amigas como V, Bebe, Martha e Cassie, que são chamadas de ‘' ''Irmãs insanas'' ou ‘'Divinamente Fabuloso e Ultraexclusivo Clube das Malucas’’. Brit vive com uma grande incerteza quanto ao seu pai, pois sua mãe teve esquizofrenia, será que por isso que seu pai havia colocado-a ali, com medo que ficasse igual sua mãe? Será que ela realmente estava tendo este transtorno? Será que seu pai foi inspirada por sua madrasta? São essas e outras questões que Brit desenvolve durante seu tempo na Red Rock, além de aumentar cada vez mais seu amor por Jed, integrante da banda, que a ajuda nos momentos mais difíceis.

Posso dizer que o livro passa uma ótima mensagem, de como algumas pessoas são julgadas por serem diferentes e não agradarem seus pais/os adultos que acabam as colocando como erradas, muitas pessoas estão neste local por serem homossexuais, por namorarem, por serem gordas… é um grande preconceito que pode ser facilmente percebido. Logo no final, o livro ainda mostra que não está certo ficar quieto, temos que erguer a voz, se algo está errado, que acertem!

‘’ Parece um leão que fareja a fraqueza dos outros para depois dar o bote ‘’


Um problema que pude perceber durante a leitura, é a falta de aprofundamento, o livro, mesmo sendo um drama, não me fez ficar muito revoltada pelas humilhações que as personagens sofriam, o romance, mesmo sendo super fofo e lindo, não é o foco da história, o que pode agradar uns e perturbar outros.

A diagramação é simples, sem muitos detalhes, favorece a leitura, a capa mostra muito sobre o tema do livro. Não encontrei falhas de revisão, a leitura flui muito bem, pois a cada capítulo acompanhamos alguma aventura ou aprendemos mais sobre Red Rock.

Eu amei o livro, não esperava que a autora fosse me proporcionar uma leitura super confortável, sem muitas reviravoltas, mas com acontecimentos leves e descritos na medida certa, o livro consegue tratar de temas como a amizade de uma maneira singela, maravilhosa. Os personagens são bem construídos, com características que ficam expostas e preservadas até o fim, é claro, com um certo amadurecimento em todos. Indico o livro, além de tudo ainda possui um romance persistente e lindo de acompanhar.


22 comentários:

  1. Olá!
    Já li outros livros da autora e tenho uma relação de amor e ódio e esse livro será decisivo para saber se gosto ou não dela.
    Gostei muito de ler seu ponto de vista e confesso que senti um pouco de falta de aprofundamento como você disse.
    Apesar disso, a mensagem é incrível e deve me agradar.
    Vou dar uma chance e decidir logo minha relação com a autora rsrs.
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Oi
    Fico contente que voce tenha gostado da leitura. Eu já li dois livros da Gayle e não me apaixonei pela autora, então já fico com o pé atras quando vejo um livro dela. Pelo seu relato tive uma ideia do que se trata, mas como disse, não curti muito a autora, então vou deixar passar a dica. No entanto, é importante relatar que gostei da sua resenha, bem organizada, clara e direta. Parabéns...

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Adorei a sua resenha... eu amo a capa desse livro, mas sabe que fico meio indecisa se leio ou não essa história.. não sei se irei gostar. De qualquer maneira, seus comentários ficaram ótimos e realmente deu vontade de conferir sim. Uma coisa é certa: já conheço a escrita da autora e ela escreve de uma forma mágica e que envolve muito bem. Bom, uma pena não haver esse aprofundamento que você comentou. Já imagino mesmo qual o foco da história.
    Beijos, Fer ♥♥
    www.segredosemlivros.com

    ResponderExcluir
  4. Oi, Maria Fernanda.
    Eu tenho vontade de ler esse livro e saber o que eu vou achar dele, porque pelos comentários que tenho visto as opiniões estão bem divididas. Eu gostei de ver o que você achou sobre a leitura mas acho que a falta de aprofundamento talvez possa ter sido proposital e o foco tenha sido outro, mas como não li ainda eu não posso afirmar nada,mas é que alguns livros eu tenho essa sensação quando acho que ficou faltando um pouco mais de algum assunto mas percebo que outro foi melhor explorado.

    ResponderExcluir
  5. Oi, tudo bem?
    Apesar da falta de aprofundamento, eu gostei muito do livro, principalmente pelo romance não ser o foco, e gostei dos laços que as meninas criaram dentro daquele lugar horroroso!
    Bjs

    ResponderExcluir
  6. Oiieee

    Tenho uma relação de amor - ódio com a Gayle Forman, os livros dela geralmente me deixam com sentimentos contraditórios, porém, esse parece ser o melhor dela, o mais interessante. Mesmo não sendo tão profundo, acho que deixarei anotado para minhas futuras leituras, me deixa curiosa não sei porquê

    Beijokas

    http://unbloglitteraire.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Maria

    Eu acho que uma das características dos livros da Gayle é justamente essa falta de aprofundamento. Eu acho que ela tenta forçar um drama, mas não consegue desenvolver a história, por isso parei de ler os livros dela.
    Que bom que você amou o livro, de repente algum dia desses eu volto a dar uma chance para a autora.

    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi Maria!
    Essa é a segunda resenha que leio desse livro e meu ódio só aumenta por essa "escola", como um pai deixa uma filha entrar aí? Por mais medo/receio que tinha pela mãe dela sofrer de esquizofrenia, não há justificativa. Não conheço a madrasta, mas já tenho ódio. kkkkk Isso porque sou uma pessoa revoltada, pena que a autora não soube fazer com que isso de fato fosse revoltante, como você disse, faltou aprofundamento. O que é bem chato, visto que ela tinha uma trama e tanto. Sobre o problema, creio que pra mim não seja um problema.
    Anotei a dica, mas tenho receio de ler livros da autora... Já li Se eu ficar e foi uma grande decepção.
    Beijos

    ResponderExcluir
  9. Oi, tudo bem?
    Não conhecia esse livro da autora, tenho dois livros dela e com certeza vou querer esse também! Espero ler com toda certeza, são sou fã da escrita dela mais adoro arriscar. Espero me satisfazer com ele e que não seja muito superficial!
    Beijinhos, amei a resenha.
    http://followyourdreamalways.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Oi!
    Eu amo a autora por causa do Se Eu Ficar. Tanto que tenho todos os livros dela já traduzidos aqui em casa. Só falta lê-los, rsrs.
    Mesmo já não tendo gostado muito de Apenas Um Dia, meu interesse em ler todos os livros dela continuam!
    Esse parece, para mim, um dos mais interessantes dela. E o tema dele é algo que gosto bastante de ler.
    Que bom que curtiu!
    Bjss

    http://umolhardeestrangeiro.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Oi Maria Fernanda, este livro está na minha estante desde o lançamento, e até agora, não consegui encaixa-lo nas minhas leituras. Adorei a escrita da Gayle Forman e sua resenha me deixou muito curiosa em relação a história.
    Que bom que você curtiu a leitura, tenho quase certeza, que também vou gostar.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Hey!
    Antes de tudo, gostaria de comentar que te admiro, pois quando eu tinha a sua idade, não conseguia escrever textos tão bons como os seus, e tinha uma super preguiça de resenhar e ter um olhar mais crítico sobre as coisas. No entanto, já gostava de ler e escrever.
    Mas voltando ao post: pela sinopse lembrei de um filme, que no momento não me lembro o nome, mas durante a leitura percebi que não tem nada de parecido. Eu com certeza leria esse livro, mesmo sem o aprofundamento que você citou, pois amo quando tratam de doenças psicológicas, mas sou meio suspeita por estar fazendo psicologia.
    Um abraço!

    http://paragrafosetravessoes.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  13. Oi Maria!
    Amei sua resenha!
    Esse livro está na minha lista de leitura, desde quer li a sinopse fiquei interessa em ler e lendo sua resenha percebi que já deveria ter lido!
    Bj

    ResponderExcluir
  14. Oi, tudo bem?! É patético a forma como a sociedade nos rótula pelas diferenças nsh?! Acho que esse livro apesar de não ter se aprofundado tanto nos personagens como citou deixa essa mensagem. Esse livro está na minha lista de leituras e não vejo a hora de ter a oportunidade de ler...
    Bj

    ResponderExcluir
  15. Olá!
    Eu nunca li nada da autora e confesso que essa não seria a minha primeira opção de leitura da autora, os outros livros dela me chamaram mais atenção...
    Achei a premissa bacana, a trama trata de temáticas importantes como amizade, preconceito, família... Fico feliz de saber que os personagens foram bem construídos.
    Apesar da falta de aprofundamento e não ter reviravoltas, pretendo fazer a leitura futuramente.
    Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  16. Olá!

    Os livros da Gayle são simplesmente incríveis. Não teve um que não gostei. A cada história somos levados a rir, chorar, emocionar, junto com todos os personagens.

    Não li este livro ainda, mas pretendo ler logo logo!

    Amei sua resenha! Abraços.

    ResponderExcluir
  17. Olá, ainda não li nenhum livro da Gayle, mas pretendo, já tenho alguns na lista e quero ler logo logo, e com certeza irei adcionar esse também, já havia visto ele mas achava que era uma história totalmente diferente, pensava que era algum drama colegial mas me surpreendi pela história, talvez o fato de não aprofundarem muito a história me incomode, mas só lendo para ter certeza.
    bjs

    ResponderExcluir
  18. Oi! Esse é o único livro da autora que eu ainda não tive a oportunidade de ler, mas que vontade não falta. Confesso que gosto bastante do tema e esse diferencial, mas achei que era mais aprofundado. No entanto, mesmo não sendo e mesmo que o romance não seja o foco principal, acredito que os livros da autora sempre nos fazem tirar uma lição e também mostram uma importante lição sobre amizade. Afinal ficar em um local como esse sem ter amigos do lado não deve ser fácil! Sua resenha só me deixou com ainda mais vontade de ler o livro e espero conseguir fazer isso logo.
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  19. Olá, tudo bem? A premissa muito me interessa. É uma pequena que o tema seja tão bom de se ler, mas não teve aprofundamento nos assuntos importantes. Mas ainda sim vou anotar a dica e tentar ler em breve. Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Olá Maria Fernanda!
    A capa sugere um pouco da história e me pareceu ser dramática, mas pelo que li na sua resenha, não parece ser tão dramática assim, parece ter um certo romance envolvendo a história, e eu particularmente não gosto de romances nos livros. De qualquer forma, obrigada pela dica. Bjos

    ResponderExcluir
  21. Este foi o primeiro livro que a Gayle escreveu e dá para ver que até ele é mais simples, mais cheio de diálogos, mas ao mesmo tempo passa uma imagem chocante e real em algumas situações. Colocar meninas em um lugar assim para corrigir coisas que na verdade nem são problemas né? Eu adorei o livro e adoro os temas que a autora aborda nos livros dela.

    Beijos,

    Greice Negrini

    Blogando Livros
    www.blogandolivros.com

    ResponderExcluir
  22. Oi, tudo bem?
    Eu morro de vontade de ler esse livro, a autora é ótima, já li outros livros dela e me apaixonei. Ver que você gostou dele me anima bastante e me deixa bem curiosa, quero conhecer mais dessa história que parece intrigante, só uma pena que para você faltou mais aprofundamento. Quero ler para ver o que irei achar ainda.

    Beijos

    http://www.oteoremadaleitura.com/

    ResponderExcluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo