24.7.17

[Resenha] Uma Janela para o Céu :: Marina Machado

Uma Janela para o Céu
Autora: Marina Machado
Editora: Novo Século
Páginas: 286
Skoob  | Goodreads | Amazon
Julyana Barocci é o perfeito retrato da mulher contemporânea: ela é determinada, bem-sucedida e tem o emprego dos sonhos. Agora, aos 35 anos, percebe que conquistou tudo o que queria. Bem, quase tudo. Quando o assunto é relacionamentos, o retrato não é tão fiel assim.Em Uma janela para o céu, Julyana narra com bom humor suas aventuras e inseguranças na busca por seu par ideal. Com o súbito aparecimento de seu pai desconhecido, ela descobre os fatos que a fizeram se separar do único namorado a quem amou de verdade – e de quem ficou separada por vinte anos.Essa visitinha do passado veio para esclarecer questões mal-resolvidas ou para complicar a vida de Julyana de vez?
No livro Uma Janela Para o Céu somos apresentados à Julyana Barocci, ou July, como é chamada por todos, é uma mulher de 35 anos, mora em São Paulo, tem o emprego que desejava em uma editora de grande porte, mas no quesito vida amorosa, as coisas não estão indo muito bem como ela deseja.

“Sou Julyana Barocci, uma mulher de 35 anos, bonita, independente, mas em crise existencial e, a partir deste milésimo de segundo, solteira. Gostaria de virar a ampulheta para que as areias da minha vida provocassem um efeito “Benjamim Button”.”
July decide fazer uma surpresa em comemoração ao aniversário do seu namorado, o PC (Paulo César). July se veste de coelhinha da Playboy, com direito a luvas, meia-calça, orelhinhas e pompom no bumbum, mas é claro que ela estava com um casaco por cima e assim, July vai até o apartamento de PC. Chegando lá, ela toca a campainha e nada do PC vir atendê-la, é então que ela percebe que a porta não está trancada e entra no apartamento, vai até o quarto e a porta está entreaberta, empurra um pouquinho e dá de cara com o seu namorado e outra mulher na cama. July tem vários pensamentos sobre o que fazer naquela situação, mas a única coisa que ela conseguiu fazer no momento, foi sair do apartamento correndo, PC percebe que July está lá e ainda tenta chamá-la, mas ela já está no elevador. E se assusta com uma voz masculina perguntando se pode ajudá-la, já que o elevador está subindo, July dá de cara com um homem alto e com expressivos olhos cinza-azulados, é aí que ela se depara que esqueceu o casaco no apartamento e está com a fantasia de coelhinha, morrendo de vergonha, July só quer que chegue logo ao térreo. Passado os perrengues no elevador, ela entra em seu carro e decide ir com suas amigas a um pub, retira os acessórios da fantasia, veste uma saia lápis preta e vai afogar as mágoas.

July tem duas amigas, Paola e Alice, que trabalham na mesma editora que ela, amigas de muito tempo, elas têm um grupo no WhatsApp, onde põem toda as novidades em dias. E a nova fofoca é que será apresentado um novo editor-chefe e quando acontece essa apresentação, July vê que os mesmos olhos azuis expressivos no editor, será que é o mesmo homem que estava no elevador com ela vestida de coelhinha?

E pra completar, July recebe no seu trabalho a visita de um homem chamado Romeu que se diz ser seu pai e não é inglês. July morava com a sua mãe e seu padrasto, sua mãe sempre contou uma história de como ela foi concebida durante o Carnaval e era uma história alá conto de fadas, mas agora com essa aparição, July não tem mais certeza de nada, é então que ela vai tirar satisfação com sua mãe e descobre mais um infortúnio, sua mãe escondeu suas cartas que eram pra ser trocadas com o seu namorado e melhor amigo da época do colégio, o Lucas Aiala.
“As frustrações fazem parte da vida, são com elas que crescemos e nos tornamos pessoas melhores. Faz parte do amadurecimento, nos dá força para seguir.” 
Depois de muita chateação e choro por essa descoberta, já que Lucas sempre foi o seu grande amor, July decide fazer uma breve pesquisa sobre ele no Google e nota que Lucas agora vive na Califórnia, é guitarrista e vocalista da banda Hurricane Eye e agora é conhecido como Luke Aiala. Ela decide ir para Califórnia em busca do seu eterno amor e ver no que dá.
“Vejo no Lucas uma espécie de chave mestra. Pela primeira vez decido algo de ímpeto e sem consultar ninguém: — Eu vou para a Califórnia!”
E assim teremos os dilemas de Julyana na sua jornada para encontrar a si mesma.

A autora Marina Machado escreveu um romance leve e divertido, um chick-lit onde você também vai dar umas boas risadas. A narrativa é em primeira pessoa e somente temos a perspectiva da Julyana, a escrita é bem fluída e você logo se perde nas páginas do livro sem notar o tempo passar. Há uma personagem forte, mas que mesmo com 35 anos ainda precisa amadurecer em alguns pontos da sua vida. Gostei bastante da história como um todo, ainda espero por uma continuação, pois o final deixa um gostinho de quero mais. E para finalizar, o título do livro remete à um lugar que é muito lindo e fica em Minas Gerais, infelizmente eu não conheço, mas procurei no Google e vi imagens lindas, é realmente inspirador.
“Tudo passa! O vento, a chuva, o furacão e, então, surge um sol brilhante, o qual te mostra que hoje é um novo dia e que sua vida somente engrandece, se você mudar.”


 Postado por
Amanda Campelo

1 comentários:

  1. Oi! Vi a capa desse livro e pensei que se tratasse de uma história triste pelo título, mas ainda bem que me enganei porque me interessei demais pela história. Com certeza vou ler!
    Beijo.
    https://leitoraencantada.blogspot.com.br

    ResponderExcluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo