controles do slide

15.6.19

[Novidades] LANÇAMENTOS DO MÊS DE JUNHO - GRUPO AUTÊNTICA


Sinopse - Nova York. Nos tumultuados anos 1920, a cidade é, para milhares de europeus, a epítome do “sonho americano”. E não é diferente para Cetta Luminita, uma italiana que, apesar de muito jovem, busca um lugar ao sol com seu filho Christmas. Numa metrópole em plena explosão, onde o rádio está nascendo e o cinema começa a falar, Christmas vai crescer entre gangues rivais, um ambiente de violência e pobreza, com sua imaginação e sua coragem como únicas armas para sobreviver. A esperança de uma nova existência nasce quando ele encontra a jovem, bela e rica Ruth. Uma história vertiginosa e luminosa, magistralmente escrita, uma reflexão sobre a violência cometida contra as mulheres, sobre o racismo e a incomunicabilidade social, um romance sobre a infância roubada. A gangue dos sonhos queima com um ardor violento e redentor, e transporta o leitor para um mundo onde todos lutam para preservar sua integridade. Um romance que se lê de uma só tacada, que se desenrola como um filme e no qual cada página é uma nova sequência.

 Sinopse - Léo Fraiman oferece, com este livro, a sua contribuição para aqueles e aquelas que ainda acreditam que a família é a base essencial da formação humana e que os pais e as mães de hoje em dia precisam se respeitar mais, ajudar-se mais e fortalecer sua aliança com a escola para formar filhos com brilho nos olhos e amor no coração. O intuito é apontar direções para que você – pai, mãe, educador, educadora – possa inspirar o caminho e o futuro dos nossos jovens. Estamos diante do aumento dos índices de depressão, suicídio e violência entre crianças e adolescentes. Uma melhor divisão de tarefas, uma atitude colaborativa e o resgate do companheirismo na vida familiar são essenciais para um melhor equilíbrio emocional de todos. Com a intenção de serem “legais”, muitos pais e mães se esquecem de ser, antes de tudo, leais – a si mesmos, às combinações, à escola, à lei.

Sinopse - Você já deve estar cansado de ouvir sobre disrupção ou sobre como o seu negócio está ameaçado pelas novas tecnologias, certo? A verdade é que todas essas tecnologias que inundam diariamente o ambiente de negócios afetam cada atividade econômica de uma forma diferente. Algumas exigirão uma resposta imediata e investimentos vultosos, enquanto outras provavelmente ainda levarão um bom tempo para se tornarem efetivamente relevantes e justificarem uma ação concreta da sua parte. Do ponto de vista estratégico, as decisões sobre novas tecnologias levam a três questões fundamentais: a primeira diz respeito à intensidade do impacto; a segunda, quando agir; e a terceira, quanto investir. Partindo do objetivo de ajudar dirigentes e gestores a saírem da posição de “reféns” das tecnologias disruptivas e pararem de gastar tempo, energia e recursos em iniciativas muitas vezes desastrosas, Paul Armstrong desenvolveu o modelo TCD (Tecnologia, Comportamento e Dados). O modelo TCD é um framework que irá ajudá-lo a analisar em profundidade qualquer tipo de tecnologia emergente e/ou disruptiva, levando-o a uma avaliação mais fria e consistente sobre a real necessidade de se tomar alguma ação concreta em relação à uma nova tecnologia em ascensão. E Dominando as Tecnologias Disruptivas ainda vai além: Armstrong explica passo a passo como implementar um processo permanente e sistemático de avaliação de novas tecnologias em sua empresa, apresentando inclusive como organizar este esforço através da formação de comitês de trabalho multifuncionais e workshops de intervenção. Ele também sugere várias técnicas e estratégias para mobilizar direção, gerência e funcionários em todo o processo. Dominando as Tecnologias Disruptivas é, acima de tudo, um livro útil. Isso porque virtualmente todo tipo de negócio está sujeito ao impacto dessas novas tecnologias e saber o que fazer, quando fazer e o esforço a ser empreendido é uma contribuição valiosa para gestores e dirigentes. Portanto, se você procura ter maior domínio sobre as novas tecnologias para tomar decisões estratégicas mais consistentes e que tragam resultados mais efetivos, este é o livro ideal!

 Sinopse - Neste livro, Boaventura de Sousa Santos desenvolve o seu conceito de “epistemologias do Sul”, delineando um universo teórico, metodológico e pedagógico que desafia o domínio do pensamento eurocêntrico. Partindo de conhecimentos nascidos nas lutas sociais, oriundos de experiências de povos marginalizados que resistem ativamente ao capitalismo, ao colonialismo e a patriarcado, as epistemologias do Sul representam formas de conhecimento que são geralmente desacreditadas, apagadas e ignoradas pelas culturas dominantes do Norte global. Observando o declínio da eficácia das soluções sociais e políticas estabelecidas para combater a desigualdade e a discriminação, o autor sugere que a justiça global só pode existir através de uma mudança epistemológica que garanta a justiça cognitiva global. Essa mudança cria estratégias alternativas de mobilização política e de ativismo, fornecendo aos grupos sociais oprimidos os meios que lhes permitam representar o mundo como seu, nos seus próprios termos, e transformá-lo com as suas aspirações.


Sinopse - Os direitos humanos só poderão ressignificar-se a partir de respostas a perguntas simples: Porque há tanto sofrimento humano injusto que não é considerado uma violação dos direitos humanos? Que outras linguagens de dignidade humana existem no mundo? Essas outras linguagens são ou não compatíveis com a linguagem dos direitos humanos? Essas questões só poderão ser respondidas de modo satisfatório se conseguirmos imaginar uma radical transformação daquilo que hoje reconhecemos como direitos humanos. O presente volume reúne 21 textos que retratam o diálogo de investigadores e investigadoras de todos os continentes, que nos confrontam com temas e realidades sociais que nos convidam a pensar o lugar dos direitos humanos nas lutas contra o capitalismo, o colonialismo e o patriarcado. Por meio dos textos aqui reunidos, comparece nas páginas deste livro um pluriverso de linguagens, geografias e corpos em luta que mostram o quanto a concepção hegemônica, nortecêntrica, dos direitos humanos está hoje num impasse enquanto linguagem de transformação emancipatória das sociedades.

 Sinopse - O quarto de Jacob, de 1922, é o primeiro livro experimental de Virginia Woolf. E as técnicas narrativas aqui utilizadas ainda causam, quase cem anos depois, a mesma estranheza que provocaram no início da segunda década do século passado. Mas é uma estranheza que vem acompanhada das recompensas e prazeres do novo e do inesperado. Está enxertado de pequenos ensaios sobre a ilusão identitária, sobre as mazelas do patriarcado, sobre os horrores da sanha militarista. Mas também há ilhas e remansos de pura poesia, de um lirismo deslumbrante, de um prazer estético radical e cristalino. O livro parece construído de fragmentos desconexos, de fiapos narrativos, de vinhetas isoladas. A narrativa dá pulos; salta, inesperadamente, de um contexto para outro; subverte a linearidade temporal e espacial. O personagem principal nunca é realisticamente revelado, nunca se deixa mostrar inteiramente. Ler O quarto de Jacob é uma experiência, existencial e, literariamente falando, transformadora.

 

Sinopse - Com muito humor e sabedoria, este livro propõe uma nova ética para pensar e curar este flagelo do nosso tempo, esta doença do coletivo e este veneno das nossas vidas individuais: a babaquice. Um livro saboroso que nos ensina como identificar e nos proteger dos babacas e como lutar com eficácia contra a babaquice humana do cotidiano, principalmente nas redes sociais.



Sinopse - Paulo Freire está hoje no meio de uma acirrada disputa ideológica. Mas este não é um livro sobre a ideologia ou a política partidária de Paulo Freire. Aqui não se entende por política o que se faz dentro da lógica do sistema democrático representativo, mas sim, num sentido mais amplo, o modo como se exerce o poder nas relações estabelecidas com outros e outras numa trama social e, mais especificamente, os modos de exercer o poder ao ensinar e aprender. Paulo Freire nos ajuda a pensar as possibilidades da filosofia em conexão muito próxima com a educação e a política. E é nesse sentido que ele é um filósofo: pela forma como faz de sua vida um problema filosófico e de sua filosofia uma questão existencial na busca de um mundo sem opressores e oprimidos. Nesse contexto, o livro é construído em torno de cinco princípios inspirados na vida de Paulo Freire: a vida (como inseparável de qualquer prática educativa); a igualdade (no início, como pressuposto, e não como finalidade da educação); o amor (não apenas pelas pessoas, mas também pela posição educadora que se ocupa); a errância (no duplo sentido de equivocar-se e de viajar sem destino predeterminado) e a infância (como impulso vital, e não apenas idade cronológica). A obra traz também duas entrevistas reveladoras, uma com filho caçula de Paulo Freire, Lutgardes Costa Freire, e outra com a educadora e amiga Esther Pilar Grossi; além de um apêndice que trata da relação de Paulo Freire com a filosofia com crianças.

Sinopse - A detetive Erika Foster fica espantada quando uma mala contendo o corpo desmembrado de um homem aparece na margem do rio Tâmisa. Mas não é a primeira vez que ela vê um assassinato tão brutal. Duas semanas antes, o corpo de uma jovem havia sido encontrado em uma mala idêntica. Quando Erika e sua equipe começam a trabalhar, logo percebem que estão seguindo o rastro de um serial killer. O número de corpos aumenta, e o caso fica ainda mais grave quando as filhas gêmeas do Comandante Marsh, colega de Erika, são sequestradas. Será que Erika conseguirá salvar a vida de duas crianças inocentes? O tempo dela está se esgotando, e ela está prestes a fazer uma descoberta perturbadora.



Sinopse - Uma infância horrível fez de Silas o homem que é hoje: perigoso, desconfiado e exigente. Extremamente solitário, tendo como companhia apenas Drake e seus irmãos, convenceu a si mesmo de que nenhuma mulher poderia aceitar sua necessidade de controle absoluto nos negócios e no prazer e, por isso, jamais iria se relacionar com alguém. Até que uma jovem violinista surge em sua vida. Ela não pode mudar o passado... Hayley tem lutado para realizar o desejo de seu pai: frequentar uma escola de música de prestígio em Nova York. Mas seu caminho está cheio de obstáculos, pois mesmo com dois empregos, ela não consegue pagar o aluguel de um apartamento em uma das cidades mais caras do mundo, e percebe que terá que abandonar tudo para trás. Silas, depois de conhecer a jovem e bela Hayley e vê-la sem esperança, promete ajudá-la e protegê-la, não importando o impacto que causaria em sua vida. Mas quando Hayley atende a todos os seus pedidos com submissão e amor inabaláveis, ele se apaixona ainda mais pela bondade e o espírito gentil dela. Entretanto, Silas sabe que a mancha escura em sua alma nunca pode ser apagada, e para não destruir a coisa mais linda que já experimentou, terá que tomar a atitude mais difícil de sua vida: deixá-la ir. Hayley irá lutar por seu amor e por um futuro cheio de melodia e paixão para os dois. Mas Silas estará disposto a arriscar tudo, inclusive a vida da mulher que ama, para viver uma história impossível?

comentários pelo facebook:

Um comentário

  1. Me interessei MUITO por A Gangue dos Sonhos! Amo livros ambientados na década de '20.
    E nunca li Virgínia Woolf. Me sinto um pouco intimidada, mas quem sabe, né?

    Beijos

    renatavarelaescreve.blogspot.com

    ResponderExcluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

últimas resenhas