20.1.15

[Entrevista] Conhecendo - mais - Graciela Mayrink

Olá, como muitos já sabem, na Bienal de 2014 eu tive a oportunidade de conhecer vários autores nacionais, entre eles a linda da Graciela Mayrink, escritora dos títulos Até eu te encontrar e A namorada do meu amigo, que inclusive tem resenha aqui, e como eu acredito profundamente que temos que valorizar mais e mais nossos autores e divulgar suas obras resolvi fazer uma entrevista com ela, que foi muito prestativa em responder minhas perguntas, pois eu bem sei que conhecendo melhor um autor seus livros ganham outro brilho e até incentiva pessoas que nunca leram a lerem!
Espero que gostem, afinal quando se tem a oportunidade de perguntar algo a alguém que você admira, milhares de coisas lhe vem, mas sabemos que nem tudo é de fato relevante e eu já tinha conversado um bocado com ela na Bienal e rido muito, assim, aqui vão algumas coisas sobre ela.


Como surgiu seu primeiro livro, Até eu te encontrar?
Quando decidi seguir a carreira de escritora, quis escrever uma história que pudesse atrair meu público alvo, os jovens, e quis contar algo que fosse de interesse deles. Neste momento me veio a época que passei em Viçosa e pensei que aproveitar a ideia e os locais da cidade pudesse ser um atrativo. O fato de que quando você entra na universidade deixa para trás os amigos da escola, enfrenta uma nova vida, novos amigos, novos amores, muitas alegrias, e também frustrações, me empolgou e rapidamente surgiu toda a trama na minha cabeça. Colocar tudo no papel foi um pouco mais demorado.

Sua família teve ou tem alguma influência em seus trabalhos?
Não sei se chega a ser influência, mas minha irmã é minha leitora alfa. Eu escrevo um capítulo e ela já lê, opina, diz o que gosta, o que não gosta, se dá pra mudar e melhorar algo. Mas a criação das histórias e personagens é toda minha.

Você sempre se imaginou sendo escritora?
Não, não foi algo que planejei. Escrevo desde pequena, mas era um hobby, nunca havia pensado em levar como minha profissão até que em 2008 minha irmã começou a me incentivar a escrever para publicar. Fiquei um ano pensando nisso, porque sabia que os textos que tinha não eram bons o suficiente para se transformarem em um livro, até que a ideia de Até Eu te Encontrar surgiu na minha cabeça.

Eu vi que em Até eu te encontrar, há algumas referências a cultura Wicca, isso mostra um pouco do que você crê? 
Não, não sou seguidora da Wicca, mas já conhecia a religião. Eu sempre fui apaixonada por todo o mistério da bruxaria, sempre li muitos livros envolvendo magia, sou apaixonada pela lenda do Rei Artur, por toda a magia que existe na história, e muitos livros que eu leio possuem uma pitada de Wicca. Na época que estava desenvolvendo na minha cabeça a história de Até Eu te Encontrar, eu estava lendo os livros da Anne Rice sobre as bruxas Mayfair e fiquei completamente envolvida pela história. Comecei a pesquisar sobre a Wicca, mais por curiosidade do que para colocar no meu livro, só que de repente a Wicca começou a entrar na minha história e eu pensei: “acho que pode dar certo”. Arrisquei em colocar a magia, só que de forma mais real e não sobrenatural, e acho que ficou perfeito na história. Era o toque que faltava, aquele algo mais quando comecei a pensar no desenvolvimento do meu livro.

Como foi transitar de uma protagonista para um protagonista? É mais fácil ou mais difícil narrar do ponto de vista de um homem?
Ainda não tenho um livro narrado por protagonista feminino, estou começando a trabalhar nisso agora, mas posso falar que é muito mais fácil escrever como homem (risos). Mulher pensa demais, analisa tudo, homem é mais direto. Meu primeiro livro é em terceira pessoa, o de 2015 também vai ser. De todos os tipos de narrativa, é o que acho mais fácil, mais libertador. Quando se narra em primeira pessoa, há varias coisas a se considerar, não pode deixar os outros personagens de lado e focar apenas no protagonista. E é importante tentar criar um protagonista o menos “chato” possível porque o leitor ficará o livro inteiro dentro da cabeça dele (risos).

Como eu costumo escrever um pouco sei que as vezes as ideias surgem, do nada, com você também é assim, ou há algum outro processo criativo por trás de suas obras?
Sim, claro! Acho que com todos os escritores acontece a mesma coisa. Um bom escritor está sempre com a cabeça cheia de ideias, tramas, personagens. Não dá para ter um branco, um bloqueio de criatividade que dura meses. Um dia não ter uma inspiração tudo bem, é normal, mas não dá para virar uma rotina. Não sei se posso falar que há um processo criativo, mas costumo pensar muito em uma história antes de coloca-la no papel, gosto de desenvolvê-la na minha cabeça, pra saber quais caminhos tomar durante a escrita. Primeiro surge uma ideia, ela fica na minha cabeça durante dias, às vezes semanas. Vou amadurecendo, pensando se ela serve pra virar um romance. Daí, começo a pensar em personagens, tramas, na história completa, do início ao fim. Se a ideia não rende nada, eu deixo ela num canto da cabeça, "de molho", e aí parto para outra. Eu só começo a colocar no papel quando uma ideia inicial vira uma história completa, sabendo tudo que vai acontecer do início ao fim. Não consigo começar a escrever sem saber como vai terminar, primeiro tenho de ter tudo determinado na cabeça. Claro que no decorrer da escrita uma ou outra coisa muda, mas o final já está determinado. Costumo até escrever a última cena do livro antes de chegar na metade dele.

Pretende escrever outros livros? 
Sim, o livro deste ano já está pronto e já estou começando a mexer no de 2016.

Se sim, vai seguir o mesmo gênero, ou talvez queira inovar em outra categoria?
Sim, por enquanto vai ser o mesmo gênero, com alguns pequenos desafios que imponho a mim mesma, como fiz em A Namorada do Meu Amigo, onde escrevi do ponto de vista de um homem.

Há algum autor que você pessoalmente se inspire?
Não. Quando penso em determinado personagem, tento criar a partir da minha imaginação, de como seria aquela pessoa com as características que eu dou para cada um. Não penso em pessoas famosas para construir meus personagens.

Você tem alguma dica para aqueles escritores que estão começando?
Saiba que é realmente isto que você quer e tem de querer muito. As pessoas têm uma visão errada da vida de um escritor, acham que é bastante glamour e vida boa e não é bem assim. Você rala muito, passa mais tempo correndo atrás e tentando se destacar do que propriamente numa vida boa. É muito sufoco, muito não, críticas e frustrações, então tem de querer muito, mas muito mesmo para não desistir no meio do caminho. Tem de ter os pés no chão e saber que para alcançar o sucesso vai levar tempo.

12 comentários:

  1. Amiga primeiramente quero te dar os parabéns pela Entrevista, porque ficou ÓTIMA. Adorei tudo que você perguntou e eu concordo com vc que quando fazemos isso a gente conhece ainda mais sobre o autor e ficamos ainda interessados em ler seus livros. Ainda não li o livro da Graciela, mas pretendo ler ainda esse ano para dizer que li algo, porque se não nem vou me perdoar viu? Até porque ela é um amor de pessoa e adorei conhecê-la. Tirei tantas fotos com ela hehehehe....Mas enfim...adorei mesmo. Preciso voltar com essa coluna no I LOVE MY BOOKS, mas anda complicado. Eu tenho aquele Conhecendo os Autores, mas ainda estou colocando em prática.. Enfim...

    lovereadmybooks.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Sil, nossa desculpa a demora em responder, mas menina, você tem que ler sim, ela escreve bem e outra, obrigada, foi muito legal fazer essa entrevista, e concordo, ela é um amor com certeza, e não se preocupe, você dá conta do recado, rsrs.
      Bjinhos

      Excluir
  2. Não tinha vontade de ler Até eu te encontrar, já A namorado do meu amigo, fiquei com vontade além de conhecer pouquíssimo da autora! Isso como você mesmo disse me deu vontade de ler mais!
    www.jeitodler.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Jeh.
      Então menina, eu nem conhecia as obras da autora, foi uma loucura na Bienal e no fim acabei por comprar um e depois o outro e ler, não me arrependo, para ser sincera e a Graciela é uma linda, então...
      Fico feliz que tenha vontade de ler e espero que goste.
      Bjs

      Excluir
  3. Que entrevista legal! Não conhecia a autora e os livros, mas fiquei curiosa pra saber mais! Realmente, escrever surge de idéias que pipocam na nossa cabeça sem parar. Quase impossível controlar e o fluxo só sossega no papel. ;)

    Beijo, beijo - megsarmybookclub.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ho Meg, fico muito feliz que tenha gostado da entrevista e que tenha se interessado pelos livros, e sim, as ideias surgem de forma louca e muitas vezes inesperada, nem sempre há papel mas o celular ajuda e muito!!!!
      Bjinhos

      Excluir
  4. Olá, Agatha! Parabéns pela entrevista! Eu conheço a Graciela apenas de nome, mas ainda não consegui ler nada dela :/ Também sou mega fascinada pela cultura Wicca e fiquei impressionada que a autora tenha facilidade em escrever como homem! Eu tenho uma história que é narrada por um homem e eu estou travada nela exatamente por não me adequar muito ao jeito como os homens pensam, preciso de umas aulas com a Graciela! rs Beijos!

    www.bibliophiliarium.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Tici.
      Eu conversei com ela sobre isso, sobre escrever como homem e foi bem legal, eu as vezes escrevo do ponto de vista de um e hoje em dia posso dizer que é fácil, mas antes eu travava ou ele ficava meio afeminado e tinha que ouvir "Amiga, tá perfeito, mas esse cara tá meio gay não?"
      BJos e obrigada por dar uma passadinha por aqui.

      Excluir
  5. Olá,
    Adorei a entrevista, muito bacana. Só li um livro da autora, mas nem foi o que mais queria. Mas a escrita dela é ótima e estou bem curiosa pra ler Até eu te encontrar.
    Beijos.
    Memórias de Leitura - memorias-de-leitura.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Inês.
      Que bom que gostou e Até eu te encontrar tem seus pontos fortes, acho que você vai gostar dele.
      BJos

      Excluir
  6. Olá Agatha, tudo bem?
    Adoreei a entrevista, a Graciela é minha autora querida <3 haha, já estou com saudades da turma de Até eu te encontrar, vou esperar ansiosamente pelo próximo livro esse ano, Parabéns pelas perguntas excelentes!
    Espero sua visita em Doce Literário *-*
    http://www.doceliterario.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tudo sim Amanda e com você?
      Obrigada e também estou, eles são legais e ela também é querida por mim, e quanto ao livro desse ano, bem só posso dizer que estou curiosa sobre o que ela vai abordar dessa vez.
      Bjinhos

      Excluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo