19.3.15

[Entrevista] Um pouquinho sobre Rodrigo Mendes


Oie, hoje eu trago para vocês uma entrevista com o autor de Atemporal, com resenha aqui, Rodrigo Mendes, para que vocês possam conhecer um pouquinho mais desse escritor - que foi muito solicito em responder minhas perguntas e autografar meu livro - e de sua obra, assim como de como a ideia surgiu e de como ele se decidiu por essa careira ainda, infelizmente, tão pouco valorizada em nosso país.
Por isso não percam sim?





Você sempre quis ser escritor? E como foi a aceitação da família e amigos?
R: Eu sempre gostei muito de literatura, ou até mesmo de leitura de uma maneira geral. E eu sempre tive vontade de trabalhar de alguma forma com livros. Inicialmente, meu sonho era de abrir uma livraria.. Mas isso requer um alto investimento, então deixei de lado.. Até que mais ou menos em 2010, eu comecei a amadurecer a ideia de escrever um livro.. pensava assim: "Gosto muito de ler, e sei como um livro me agrada... acho que consigo fazer isso também!".


Até que resolvi tentar. Mas isso é o assunto da próxima resposta. ;-)

Com relação à família e amigos, a aceitação foi super boa, e todos ficaram muito felizes com a publicação do meu livro. Minha mãe considera meu livro com mais um "neto" na família, para se ter uma ideia da aceitação. 


Como que surgiu a ideia que originou Atemporal?

R: Como eu disse anteriormente, eu sempre quis trabalhar com literatura, e quando decidi tentar escrever um livro, faltava aquela ideia que realmente desse uma boa história. E fiquei com aquilo na cabeça.. começava a escrever alguma coisa, mas nada que eu realmente sentisse que era muito bom. 
Até que um dia, ou melhor, uma noite, tive um sonho. Sonhei, e sem entregar spoilers, com a "cena" inicial e a "cena" final do livro Atemporal. Acordei, e ainda bem, me lembrei do sonho, e pensei.. "Pronto.. achei a história que eu estava procurando". E comecei a escrever baseado no sonho.. ou seja, eu sabia de onde começar e onde queria chegar.. A partir daí, tive que desenvolver o meio, como ligar aquele início com aquele final. E deu no que deu. 


No livro vemos muitas referências à tecnologia, esse interesse se estende a você?

R: Gosto muito de tecnologia, de invenções que facilitam nosso dia-a-dia. Se você me perguntar se eu prefiro ir acampar ou ficar em um hotel, eu vou responder hotel com certeza. E quando escrevi, por ser uma história com viagem no tempo, quis escrever algo que fosse pelo menos plausível.. então a história se passa a maior parte no futuro, mas não tão distante. Por esse motivo, as invenções teriam que ser algo diferente, mas também completamente possíveis de existirem em apenas 8 anos a partir de agora. E confesso que foi divertido ficar bolando essas invenções. 


Como foi trabalhar uma ideia tão batida e ao mesmo tempo tão pouco desenvolvida literariamente quanto a viagem no tempo?

R: Isso foi um desafio, sem dúvida. Existem muitas histórias com viagem no tempo, principalmente no cinema, sendo que muitas são boas, mas também temos algumas que não são tão boas assim. Acho que é um tema complexo, pois pelo menos para mim, tem que fazer um sentido. Tudo que for mencionado, pode cair em contradição no capítulo seguinte se não for bem amarrado. E esse desafio foi muito estimulante, pois gosto muito desse tipo de raciocínio.. onde você fica revendo cada detalhe ao terminar o livro para ver se aquilo fazia sentido ou não.

Pretende escrever outros livros?
R: Sim, com certeza. Eu comecei a escrever outro livro, também no estilo ficção-policial, mas confesso que estou um pouco parado nessa obra. Divulgar o livro Atemporal requer muito tempo e muito trabalho, e no fim acabo deixando de lado a escrita do outro livro, mas pretendo retomá-la muito em breve, para poder entreter meus leitores com mais uma obra.


Qual a sensação de ver seu trabalho reconhecido?

R: É indescritível. A primeira realização é ver seu livro publicado. Isso é maravilhoso. Mas isso é, digamos, totalmente esperado a partir do momento que você fecha contrato com a editora, por exemplo. É um projeto e você sabe que aquilo vai acontecer. Já o reconhecimento, é algo totalmente indefinido, uma incógnita. Você não sabe se seu livro vai agradar ou não, se as pessoas vão ler ou não. Então, quando você recebe uma mensagem de um leitor dizendo que leu seu livro e achou fantástico, você esquece de todos os problemas, todos os sacrifícios, todos os obstáculos, e tem certeza que tudo valeu a pena. 

E para finalizar, tem alguma dica ou até mesmo conselho para jovens que no futuro pensam em ser escritores dentro do país?
R: É um conselho meio batido, mas acho que sempre é válido. Não desista. Se esse é o seu sonho, vá em frente. Como eu disse anteriormente, o reconhecimento do seu livro pelos leitores é algo maravilhoso, e todo o esforço vale a pena. Não vai ser fácil, seja pelo tempo que você vai gastar com isso, ou até mesmo pelo investimento financeiro que talvez você tenha que fazer, mas por esse reconhecimento, vale a pena. E também muito importante: não faça isso pelo retorno financeiro. Ele pode até acontecer, mas em sua grande maioria, demora muito para isso se tornar realidade. Portanto, faça por amor à literatura. O resto, é consequência do seu trabalho. Se você publicar seu livro com esse pensamento em mente, tudo será ainda mais gratificante, pois como dizem, o que vier, é lucro. :-)

6 comentários:

  1. Adorei a entrevista!

    O autor parece super bacana, ainda não li sua obra, mas pretendo fazê-lo em breve. Gostei bastante do conselho dele para mim - jovem escritor -, eu sempre quis e vou continuar querendo até conseguir ver alguém com um livro escrito por mim em mãos e dizer que o mesmo é bom *-*

    Bjs!

    http://leiturasilenciosaoficial.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Jhonatan, tudo bem?
      O Rodrigo é sim bem legal, ele foi mega atencioso na bienal comigo e com a minha amiga e tomara que você adore o livro quando o ler!!!
      E quanto ao concelho, sim, eu acredito que ele tenha razão, mas quero também que você sempre tenha em mente a sua capacidade, acredite nela e isso só vai fortalecer sua vontade de não desistir nunca.
      Bjs

      Excluir
  2. Oi Agatha,
    Sempre gosto de ler entrevistas com autores e conhecer um pouquinho de cada um. Já não é a primeira vez que descubro que o livro foi baseado em um sonho do escritor!! E pensar que meus sonhos sempre são sem pé nem cabeça rs.
    Sucesso ao autor!!!
    Beijos,

    http://versosenotas.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Bárbara!
      Menina eu também gosto de saber mais sobre nosso autores e outros que eu também adoro, então sempre que possível estarei tendo entrevistas por aqui. E eu acho demais o que o nosso subconsciente é capaz de produzir!!!
      Bjs

      Excluir
  3. Não conhecia o autor, mas me interesso muito por livros que tenham viagem no tempo, até pretendo escrever um assim, só não sei quando! Gostei bastante do que ele disse do desafio de amarrar bem a história para que tudo faça sentido e é bem legal ver que muitos dos autores acabam utilizando o subconsciente dos sonhos para criar as suas histórias! Bjos

    www.bibliophiliarium.com

    ResponderExcluir
  4. Oie Tici.
    Fico feliz que tenha gostado de conhecer um pouquinho mais o Rodrigo e eu também adoro quando as histórias se baseiam em sonhos e boa sorte, escrever sobre viagem no tempo requer muita criatividade e paciência!
    Bjs

    ResponderExcluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo