14.9.15

[Resenha] Sem Vergonha :: Julianna Costa

Sem vergonha #1
Autora: Julianna Costa
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 368
Skoob  | Goodreads | Amazon
Julianna Costa, autora de 23 noites de prazer e 4 semanas de prazer, lança seu novo romance, Sem Vergonha, que traz Mina Bault e Ryker Strome em uma intensa e perigosa fuga pela Europa. Mina é uma jovem bem-sucedida profissional e academicamente. No entanto, nem todos os setores de sua vida possuem tanto êxito, pois sua virgindade continua intacta mesmo após tantas tentativas de perdê-la. Então, Mina contrata um garoto de programa para enfim solucionar esse pequeno "problema". Após alguns incidentes bem inusitados entre quatro paredes, Mina decide voltar para casa. No caminho, ela e Ryker– o garoto de programa – se tornam testemunhas de um crime cometido pela máfia russa em Paris e, consequentemente, se tornam alvos dessa organização. Essa única noite terminará com os dois fugindo para a Holanda a fim de salvarem suas vidas. Contudo, apesar do perigo eminente, ambos se deixam envolver por uma atração avassaladora e talvez a noite de Amsterdã seja muito convidativa para que Mina tente, mais uma vez, entregar-se de corpo e alma a Ryker.


Mina sabe que já passou da hora de perder a virgindade, ela sabe disso muito bem na verdade, mas ela não acha uma boa ideia fazer a primeira vez com um garoto de programa, porém dado o fato de que ela já tentou e fracassou em mais de dez vezes e de que Elise garante que assim vai ser melhor pois o cara além de estar sendo pago para isso vai saber o que fazer para ser gostoso para ela, ou seja bem menos pressão, a convence a ceder.
- Minha virgindade não conhece fronteiras, vocês não sabem? Ela resiste a tudo.
Okay, ela só precisa respirar e não surtar, ela só precisa ficar calma e não sair correndo. Nada de fugir, é hoje que ela deixa de ser virgem! Então quando batem na porta ela reúne toda a sua coragem e já parte para o ataque, porque se é para fazer isso que seja somente isso, mas o cara que ela puxa para um beijo a deixa meio decepcionada, garotos de programa não deveriam ser mais gostosos? Gatos? Sexy? Se é para você pagar por um quase crime que ele valha a pena não?

Porém quando ela o solta...Bem, ele não é quem ela contratou, é apenas o garçom e o rapaz que lhe entreterá a noite inteira - se tudo der certo - está parado ao lado da porta com um sorriso sacana de quem viu tudo e ele sim a deixa sem fôlego, mas nem precisava, seu rosto já arde como o cão pela situação embaraçosa em que ela mesma se meteu e não melhora nenhum pouco quando eles ficam a sós.

Ryker, como ele disse se chamar, é tudo o que você pode pedir para um cara ser, seu corpo dá vontade de lamber, essa é bem a verdade, mas o nervosismo que sempre faz tudo dar errado para Mina toma conta dela e não só a faz apertá-lo forte demais como ao tentar amenizar a dor passa lubrificante de morango, quase o castrando ao descobrir - tarde demais - que ele tem alergia à fruta. Um desastre. Completo.

Com o pouco de dignidade que lhe resta e crente de que morrerá virgem, Mina deixa o dinheiro no balcão e some, ela já está no estacionamento quando Ryker a alcança e lhe pergunta onde Diabos ela está indo...E então o barulho de tiros, um corpo caindo e a luz refletindo no rosto de Yuri Kulik, o chefe a máfia russa que está em todos os jornais nas últimas semanas, e agora eles estão olhando na direção deles e só o que ambos podem fazer é correr e torcer para não serem mortos.
Era a minha casa.
Alguém tinha explodido a minha casa.
Andei até o móvel onde estava a televisão e me ajoelhei no chão quase enfiando o nariz na tela. Tive vontade de rir de desespero. Não é possível. Minha vida é normal. Não é um filme e, se fosse, seria uma daquelas comédias trágicas que você nunca decidi se ri ou chora pela mocinha. Definitivamente, não seria um thriller.
Eles precisam fugir, não podem falar com ninguém, tem que sair da cidade o mais rápido possível e o único lugar onde eles podem se abrigar é um bar de Stripers em Amsterdã, onde Ryker tem alguns amigos. Mas como Mina poderá trabalhar em um bar de stripers se ela nem consegue ficar nua na frente de um cara? E como se não fosse tudo surreal demais, eles ainda estão presos um ao outro, Ryker com a promessa de terminar o que começou na noite anterior e ela com o juramento de não lhe dar esse gostinho por nada, mas tendo a presença um do outro mais que tudo, começa a ficar difícil resistir a tentação de encarar de cara todas essas emoções que tentam entrar e tomar posse de seus corações.



Eu já tinha ouvido falar muito bem dessa escritora - Julianna Costa - e como foram de meninas diversas e que eu confio, já tinha em mente ler algo dela, mas devo dizer que Sem vergonha ganhou meu coração! 

Narrado em primeira pessoa por alguns pontos de vista diferentes e pertinentes ao andamento da obra, o livro passa voando e eu o li em uma pegada, foi alucinante e divertido, mas acima de tudo foi encantador e me deixou enfeitiçada por sua trama e personagens.

Adoro quando o romance erótico tem todo um contexto por trás e a Julianna pegou o clichê "ainda sou virgem" e o desenvolveu de maneira totalmente inovadora, nunca antes que eu pensaria na mocinha pagando para perder a virgindade com um garoto de programa e ambos tendo que fugir juntos para se safarem da máfia! Olha que cena.


Porém melhor ainda foi todo o desenvolvimento dos arredores e outros personagens que acabam por surgir, não há fios soltos, o romance é leve e plausível, o enredo se estende por quilômetros e não só isso, mas a autora teve o cuidado de lidar muito bem com o crime que desencadeou todos os outros acontecimentos.

No fim, recomendo este livro para todos que amem um romance apimentado, mas que também curtam ação, comédia, drama e uma boa dose de realismo sobre uma realidade que poucos conhecem, o mundo por trás das boates e do governo de muitos lugares - esse nem tanto né, afinal de corruptos o Brasil entende muito bem. Há quem faça por gostar mas também há quem faça por falta de opção, isso foi algo que aprendi nesse livro.
- Vai - reclamou, com as bochechas ainda coradas. - Bota essa comida na boca e fica quieto.
- Sim, senhora. - Mordi o croissant, observando seu comportamento peculiar. Mulheres me davam comida ou me ajudavam com alguma coisa quando queriam sexo. Ou quando tinham sexo e queriam meu coração.
Mas ali estava Mina, colocando ovos na frigideira, me chamando de arrogante e perguntando se eu preferia os ovos mexidos com pouco ou muito sal.
Mordi o sorriso e respondi que queria pouco sal, antes de beliscar sua bunda e ela virar com ódio no olhar, fazendo-me crer que atiraria a frigideira quente na minha cabeça.
E quem não tem ideia, leia por indicação minha, vale a pena, e para um livro se tornar meu favorito ele tem que ser um bom livro, modéstia a parte, assim leiam, vocês rirão, se emocionarão e no fim provavelmente se tornarão fãs dessa brasileira que só formenta minha opinião de que há muitos talentos na literatura brasileira!

17 comentários:

  1. Não a conhecia e acredito que muita gente ainda não ouviu falar..
    Amei fazerem essa ideia do mês nacional \o/
    Ótima resenha !

    www.chaeamor.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Camila!
      Muita gente não conhece mesmo, e deveriam pois esse livro é sensacional!!! A ideia é ótima e eu super aprovo, valorizar os escritores nacionais é uma meta minha!
      Bjokas e obrigada.

      Excluir
  2. Agatha, não conhecia esse livro até ver a foto que vc postou no insta e já fiquei curiosa só pela capa! Amei a sua resenha, se já dei umas risadas ao lê-la fico imaginando o livro... Já foi direto para a wishlist, estou muito curiosa para conhecer o trabalho da Julianna pois adorei a premissa de Sem Vergonha.
    Beijos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Andy.
      Kkkkkk, que bom que temos gostos bem semelhantes né? Que bom que curtiu minha resenha fico bem feliz para ser sincera!
      Bjinhos e espero que ria muito mais quando ler o livro, pois eu ri muitooo.

      Excluir
  3. Oii

    Essa história parece ser legal.
    Estou bem curiosa para ler o livro.

    beijos

    ResponderExcluir
  4. Hahahaha, resenha incrível hen ? O nome do livro é bastante chamativo, rsrs.

    Abraços

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Guilherme, de verdade, conta muito ler comentários elogiando minha escrita kk. Sim o nome chama muita atenção!
      Bjs

      Excluir
  5. pirando em 3,2,1 haha eu já posso dizer que eu quero esse livro eu já tinha ouvido falar da autora por causa do livro 4 semanas de prazer e estou louca pra ler as obras da autora!

    ResponderExcluir
  6. Parabéns pela resenha, não é um gênero que eu curta muito ler, mas a sinopse me pareceu ser bem legal, e a sua resenha me fez ter vontade de ler ele, quem sabe, uma hora não o dou uma chance.
    Abração!

    cafelivrosseries.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  7. OI Agatha!
    Fiquei super presa na sua resenha. Nossa, adorei a história que a Julianna criou, acho que iria amar o livro, mesmo que essa coisa de "obrigação" em perder a virgindade me irrite um pouco. Quero conhecer a escrita da Julianna e essa capa é linda, esse livro me ganhou já no primeiro parágrafo da sua resenha!
    Beijos

    LuMartinho | Face

    ResponderExcluir
  8. Oi Agatha!
    Eu já tinha visto o livro em algum lugar, mas nunca li nem mesmo a sinopse dele.
    Lendo sua resenha lembrei muito do livro Perdendo-me, eles tem a mesma temática, garota mais de 20 anos que está tentando perder a virgindade kkkkk
    Achei legal esse top meio que policial na história.
    Amei sua resenha

    ResponderExcluir
  9. Oi agatha, eu de novo!
    você já tinha comentado a respeito desse livro comigo e eu o adorei. Mas devo dizer que foi a sua resenha que me convenceu. Adorei esse começo desastroso de Mina. Com certeza gostaria de ter a oportunidade de lê-lo. Sexo, romance, investigações policiais = receita de sucesso

    Beijos, Iza
    http://livrosontemhojeesempre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  10. Olá já li alguns livros nesse estilo, confesso que uns não me cativaram tanto, vou por esse na minha lista fiquei curiosa, bjos.

    http://yuugracindo.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  11. Olá!
    Eu adorei a capa desse livro, não conhecia a autora.
    Mas me interessei pela história e parece ser bem divertida e intensa. Mina é o tipo louca e super divertida diante dessas situações inusitadas! Espero ler em breve e já estou adicionando na lista do skoob.

    Beijos!
    http://lovesbooksandcupcakes.blogspot.com.br//

    ResponderExcluir
  12. É de fato um livro com uma trama bem diferente. Gostei da resenha e principalmente de ser nacional. Já o coloquei na lista de desejados.
    Beijos,
    Blog ABCD dos Livros

    ResponderExcluir
  13. Amiga tenho que confessar que eu amei essa sua resenha.
    A trama me chamou bastante atenção, mas quando fui chegando ao fim da resenha eu já fiquei triste, porque você disse que se trata de um romance erótico e eu já não sou muito chegada sabe? Eu acho que é muito cansativo livros assim, mas pelo que percebi o livro além de ter isso com um ponto ainda tem uma perseguição na estória que deixa o livro todo mais envolvente ainda. Pelo que entendi pelo menos. Peço para que você me conte, porque eu realmente gostei, mas essa parte erótica me desanimou =[

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/10/resenha-o-grande-gatsby.html

    http://lovereadmybooks.blogspot.com.br/2015/10/resenha-o-vilarejo-raphael-montes.html

    ResponderExcluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo