2.12.15

[Resenha] Procura-se :: Giovanna Vaccaro

Procura-se
Autora: Giovanna Vaccaro
Editora: Novo Século
Páginas: 200
O tempo que Ariane tem de vida é bem menor do que se imagina. Desde os seis anos, sofre com a doença arterial coronariana, uma deficiência cardíaca genética; rara em pessoas jovens, mas fatal. Mantendo-se com a ajuda de remédios, ela conta com a ajuda de seu pai e de sua irmã Becky. Para agravar a situação, após uma crise de insuficiência cardíaca, ela recebe a notícia de que deverá passar, o mais urgente possível, por um transplante de coração, caso contrário, seus dias estão por um fio. Porém, ela tem uma nova razão para pulsar: seu novo amigo Miles. Ariane se envolve em uma paixão “quase” perfeita – diante do difícil drama que enfrenta! Juntos, eles tentarão encontrar uma saída e farão de tudo para congelar o tempo e eternizar cada segundo que lhes resta, como um extenso fio de esperança que surge a seu futuro tão incerto.
A vida pode nos derrubar, mas somos nós quem escolhemos se devemos seguir em frente ou não.
Escolhi seguir em frente.
Ariane tem coronariana, um rara doença cardíaca que fez com seu coração possa parar a qualquer momento, ela tem isso há anos, foi a descoberta da doença que fez sua mãe ir embora, mas seu pai se manteve firme e a ajudou sempre, hoje em dia ela tem uma vida mais ou menos normal, claro, seu coração pode deixar de bater a qualquer momento, mas ela tem medicamentos para atenuar isso, maneiras de se cuidar e continuar ali por mais tempo...

Ou era assim que ela pensava, um novo ano letivo começou e as dores em seu coração aumentaram, ela se preocupa, mas não tanto, ela não tem muito o que perder caso morra, mas ao conhecer Miles e começar a viver em sua companhia, seu problema passa a ser algo que importa e muito, e quando lhe dizem que a contagem regressiva pela busca de um novo coração para ela, lhe apavora mais que tudo, pois pela primeira vez ela quer viver.
E, de repente, notei que aquilo tudo, todas as coisas erradas que eu fazia eram prejudiciais ao meu coração. Mas eu não ligava... Tudo que me mata me faz sentir mais viva, pensei.
O livro, narrado em primeira pessoa, é curtinho e passa muito rápido, eu o li em uma tacada, e a estória me tocou em alguns momentos - com frases que me fizeram questionar o quanto a Giovanna Vaccaro passou para chegar a tais pensamentos - e seguiu um ritmo não linear que me deu a sensação de estar lendo um romance sobre adolescentes morrendo, mas ao mesmo tempo estar vendo isso pela primeira vez.

Depois do bum! que foi A Culpa é das Estrelas muitos livros foram lançados com temáticas parecidas e apesar de ter curtido ACEDE, eu não gosto tanto assim de livros onde os protagonistas poderão em mais de 50% das estatísticas morrer, eu não gosto de ver pessoas sofrerem, pois sofro com elas, não gosto de ver jovens cheios de sonhos e possibilidades terem suas vidas abruptamente paradas, mas esta é uma realidade da vida, nem todos tem a mesma chance e ler estórias assim, sejam ficcionais ou baseadas em fatos reais, nos faz dar mais valor ao que temos.
Ou você intimida o mundo ou o mundo intimida você. Essa é a razão da vida.
Quero... Não. Eu preciso intimidar o mundo.
A trama apesar de leve nos prende e ao terminar a leitura mais que um pouco chocada com o ritmo e fim das coisas que foi mais ou menos - me utilizando agora do conhecido - "Eita Giovanna!", eu me peguei pensando e sorrindo no quanto um livro reflete a ideologia de um escritor, no caso uma. Não consegui tirar a sensação de que eu estava vendo as coisas e acontecimentos por um filtro que deixou tudo mais claro, lírico e puro, infelizmente talvez, eu já não enxergo o mundo com essa mesma visão e foram vários os momentos em que pensei que aquilo não aconteceria assim.

Não que isso tenha comprometido ou atrapalhado a estória, como eu disse, é um filtro, mas todo livro tem isso, contudo eu não deixo de pensar que isso se deu por conta da idade da autora, eu mesma quando pego meus manuscritos de anos atrás me vejo rindo, sorrindo e meio triste por notar o quão diferente eu faria isso ou aquilo hoje, então eu só posso dizer que é uma ótima leitura para uma tarde ensolarada.

E que eu estou curiosa para ver o progresso dessa menina, portanto, é bom que ela escreva mais livros, eu sinceramente estou ansiosa para ver como o romance será abordado por ela daqui uns anos! Afinal foi muito fofo como eles se relacionaram e o quanto esse amor é um amor tocante que vem lá do fundo e sem segundas intenções, é aquele amor que temos na infância e que achamos que vai nos consumir e enlouquecer só com um toque de mãos e um roçar de lábios.
- Pessoas choram não porque são fracas, choram porque vêm sendo fortes por muito tempo - falei com o mesmo tom de voz arrogante enquanto me levantava.

0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo