3.8.16

[Resenha] O Último Adeus :: Cynthia Hand

O Último Adeus
Autora: Cynthia Hand
Editora: Darkside Books
Páginas: 352
O Último Adeus é narrado em primeira pessoa por Lex, uma garota de 18 anos que começa a escrever um diário a pedido do seu terapeuta, como forma de conseguir expressar seus sentimentos retraídos. Há apenas sete semanas, Tyler, seu irmão mais novo, cometeu suicídio, e ela não consegue mais se lembrar de como é se sentir feliz. O divórcio dos seus pais, as provas para entrar na universidade, os gastos com seu carro velho. Ter que lidar com a rotina mergulhada numa apatia profunda é um desafio diário que ela não tem como evitar. E no meio desse vazio, Lex e sua mãe começam a sentir a presença do irmão. Fantasma, loucura ou apenas a saudade falando alto? Eis uma das grandes questões desse livro apaixonante. O Último Adeus é sobre o que vem depois da morte, quando todo mundo parece estar seguindo adiante com sua própria vida, menos você. Lex busca uma forma de lidar com seus sentimentos e tem apenas nós, leitores, como amigos e confidentes.
Esse livro mexeu comigo de formas que eu nem imaginava possível. Pra quem gosta de um bom contemporâneo e quer uma narrativa original que saia da rotina de tudo o que tem por aí e mesmo assim tenha uma história intensa e tocante, esse é o livro.


O Último Adeus conta a história de Alexis, ou Lex, e começa exatamente 2 meses depois que seu irmão mais novo, Tyler, se suicidou. Nem a menina e nem os pais conseguiram superar completamente o choque que foi perder Ty, ainda mais quando a última coisa que ele deixou para trás foi um Post-it escrito:


"Desculpa, mãe, mas eu estava muito vazio."

O livro começa durante uma das sessões de terapia de Lex, na qual Dave, seu terapeuta, sugere que ela escreva um diário sem um destinatário fixo sobre todas as primeiras e últimas vezes que conseguir se lembrar. Mesmo um pouco contra vontade, Lex resolve aceitar e assim é narrado o livro: intercalando pedaços de flashbacks do diário com a rotina da menina hoje em dia.

Durante a narrativa, o leitor vai conhecer um pouco mais sobre Lex, suas amizades, seu ex-namorado, sua família e até sobre o próprio Ty. É uma história que retrata perfeitamente o luto, a saudade e o imenso turbilhão de emoções que qualquer um passa quando perde alguém querido.


"Pelo menos, eu estou determinada a ser direta. Meu irmão se matou. Na nossa garagem. Com um rifle de caça. Isso faz com que pareça o jogo mais cruel do mundo, mas é isso."

Flashbacks remontam a cena em que o pai de Lex resolve sair de casa para construir uma nova família com a secretária e o impacto que essa decisão teve nos filhos e na ex-mulher. Eles também desenvolvem a relação dos irmãos e como foi que a história de Ty e de Lex chegou nesse ponto e acabou em uma situação tão trágica.

Por meio de memórias, a autora consegue construir uma narrativa incrível que mostra ao leitor personagens extremamente profundos e que se recusam a ficar na superficialidade de uma simples memória. Todo o livro é tão bem construído que parece que todos eles saem de dentro das páginas e interagem com o próprio leitor para mostrar seu sofrimento.

Além disso, a autora também usa um artifício psicológico bem interessante com a Lex, que é uma menina fascinada pela matemática. Ela sempre diz que a lógica é o que faz sentido e pretende estudar exatamente isso na faculdade. Assim, durante toda a narrativa em primeira pessoa, Lex nos conta infinitos dados por meio de números, o que mostra sua obsessão e seu jeito peculiar de ver o mundo.


Para mim, o ponto mais forte desse livro é que ele não foca em nenhum relacionamento amoroso. O selo Darklove da editora Darkside tem essa proposta incrível de trazer outros assuntos para o foco da narrativa que não seja o tradicional "menino-ama-menina". Já fizeram um trabalho incrível com o feminismo em The Kiss Of Deception e agora nos mostram outras possibilidades com O Último Adeus. 

O grande foco do livro é justamente no relacionamento entre irmãos de Ty e Lex. Eu sempre procurei um livro que focasse mais na família e não na desestrutura dela necessariamente, mas no amor, e essa foi a história perfeita. É lindo ver o relacionamento dos dois e como Lex se sente sobre o irmão e sobre agora ter que enfrentar toda uma vida sem ele.

Além disso, toda a parte gráfica ficou incrível e combinando sempre com o Post-it deixado por Ty. É inteiro rabiscado com caneta, inclusivo a caiveirinha que é a marca da editora, e há um bolo de riscos no começo que vai diminuindo a cada capítulo demonstrando também o progresso de Lex durante a história.


Pra quem também se interessar, a própria editora criou uma playlist no Spotify com várias músicas citadas no livro e que combinam com todo o tom da história. Eu, particularmente, li o livro todo ao som dessa playlist e não me arrependi nem um pouco; acho que deu um toque especial e mais intenso ainda à experiência.



É um livro que eu vou recomendar para sempre, uma história maravilhosa e inesperada, que passa muitos valores diferentes e trata de assuntos delicadíssimos com muita inspiração.


7 comentários:

  1. Olá.. . Nossa que livro intenso e pesado.
    Não conhecia esse livro e me surpreendi bastante com a resenha. Gosto desses dramas mais pesados e esse livro de fato me chamou muito a atenção.
    A diagramação parece estar perfeita, a propósito, amei as fotos

    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Nossa, que história fantástica! Eu amo ler sobre temas que fujam do tradicional, e já li alguns sobre suicódigo e gostei bastante de todos eles. Pretendo ler esse livro. Ótima resenha.

    ResponderExcluir
  3. Livro intenso e comovente! Eu acredito que agora eu não leria por ser pesado, quem sabe mais para frente, pois tive contato com dois livros da Jojo, se vc leu algum título sabe como ficamos de ressaca. Eu amei a tua resenha porque trouxesse até playlist para completar a grandiosidade que esse livro é. Parabéns.

    ResponderExcluir
  4. Adorei suas fotos, e pelo que já li desse livro por ai e agora na sua resenha, eu preciso muito lê-lo. Ele parece ter um clima bem tenso, e bem diferente com o que estamos acostumados. Acho que esse está sendo o diferencial da Darkside books, além é claro da estética dos livros. Minha vontade de ler só aumentou! Beijoos

    ResponderExcluir
  5. Oi Bruna,
    Adorei a dica! Não conhecia o livro ainda e adorei a premissa. Também não curto muito os clichês de romance e este livro parece perfeito para mim.
    Ótimas fotos!
    Beijos
    Blog Relicário de Papel
    www.relicariodepapel.wordpress.com

    ResponderExcluir
  6. Olá Bruna, além de estar super caprichado na parte da diagramação o enredo parece estar muito bem trabalhado, adorei saber que não vamos encontrar uma família desestruturara e sim cheia de amor *-* Espero lê-lo em breve.

    Visitem Meu Mundo, Meu Estilo

    ResponderExcluir
  7. Oiii Bruna, como vai?
    Menina fiquei bastante interessada em realizar a leitura dessa obra com toda certeza, é um dos grandes sucesso da editora, creio eu e sua resenha só me deixou mais curiosa.
    Beijinhos

    ResponderExcluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo