15.8.16

[Resenha] Sasha, o fenômeno :: Ariel Ganassim

Sasha, o fenômeno 
Autor: Ariel Ganassim
Editora: Fragmentos
Páginas: 178
Havia quem considerasse Sasha Simmel um messias demoníaco, vindo no fim dos tempos. Outros preferiam tomá-lo por uma espécie de anjo misterioso. Alguns acreditavam que se tratava apenas de mais um terrorista, transmitindo um vírus de computador para pessoas. Mas o que se sabe é que o fenômeno teve início. Zoe Ebner conta a história toda, desde o instante que ingressou nas cidades de vidro como uma atriz pornô e conheceu Sasha, até o seu fim enigmático.


Como vocês imaginam uma sociedade futurística? Como um lugar onde não há privacidade, onde todos os seus passos são assistidos por vários telespectadores, onde as residências são feitas de vidro completamente transparentes; e, onde uma nova religião rege - quase - toda a sociedade? Em Sasha, o fenômeno, é nesse tempo que nos encontramos, no tempo das Cidades de Vidro, mais conhecido também como "o século que se esqueceu de Deus."

Neste século, somos apresentados a Zoe Ebner, uma personagem curiosa e ativista que não se conforma com a cidade em que vive, e foge para as Cidades de Vidro para ser uma atriz pornô. E não, não há nenhum problema nisso. Pelo contrário, os astros pornôs são ícones para o povo, e muito admirados - e vijiados  - também.

Reno, o maior astro de filmes pornôs da época, estava à procura de uma parceira com quem atuar, e nossa protagonista enxerga nisso uma oportunidade de morar nas Cidades de Vidro. Após conseguir realizar seu sonho de trabalhar com Reno, Zoe também se torna conhecida e admirada. Depois de assistir a estréia de seu primeiro filme, Zoe conhece Sasha Simmel, e eles acabam se apaixonando (sim, amor à primeira vista, eu diria).
Quem ouve o meu nome ao acaso talvez pense, Zoe Ebner foi apenas uma louca de pedra célebre. Com certeza, tenho palavras melhores para me definir, então comecei a escrever a minha história, mas faço isso principalmente por­que me sinto parte de um propósito maior. Tudo o quanto deve ser entendido ao meu respeito começa e termina com Sasha, o único homem a quem amei com todas as forças.
Pouco depois do inicio do romance, Sasha descobre algo que abala não somente Zoe, como também os habitantes da Cidade de Vidro, e do mundo inteiro. Desde a descoberta, estranhamente inúmeras pessoas começam a ter sonhos religiosos envolvendo Sasha, e ele e Zoe passam a ser perseguidos tanto por grupos católicos, quanto pelo governo do Teotecnismo (religião predominante).
Mas Sasha não tinha tempo, como havia avisado no sonho. Às vezes me pego desejando que tudo acontecesse diferente, preservando sempre a inocência de quando nos conhecemos. Somos tão pequenos, com os nossos sentimentos. Mas a verdade é que não importa como se chama, destino inteligente ou Deus, vai virar sua vida do avesso, cedo ou tarde.
Bom... o livro é curto, mas não esperem uma distopia ruim. Pelo contrário, o autor conseguiu desenvolver muito bem os personagens e a história sem mais delongas, dizendo apenas o necessário. O que mais gostei no livro foi a forma como o autor estruturou uma nova religião, pois imagino que isso deve ser complicado. Também achei interessante a forma como foi narrado um romance "futurístico", e como são construídas e observadas as relações nesse novo mundo.

O livro é de leitura fácil, e apesar de ter percebido alguns errinhos de digitação, não atrapalhou a leitura de forma alguma. Parabéns ao Ariel Ganassim, pela tão bem estruturada distopia, e pelo enorme talento com a escrita. 


17 comentários:

  1. Oiii Ana

    Adorei essa premissa de sociedade controladora e meio desvirtuada com religião. O legal de distopias é quando por mais surreal que pareça a ideia é algo que ainda assim conseguimos visualizar e imaginar acontecendo. Achei super legal. Com certeza esse é um livro que eu leria.

    Beijos

    unbloglitteraire.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  2. Oi, Ana!
    Só essa sinopse conseguiu me prender. Sua resenha fez um ótimo trabalho também.
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir
  3. Tenho que confessar que não é um gênero que eu leia mais. Ja li muito uma distopia e sempre me decepcionou. Apesar que você disse que é ótimo eu não espero ler ele por hora.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Achei bem curioso isso dos astros pornôs como ícones do povo. Realmente é algo diferente em uma história, rs.
    Eu adoro distopias e achei a premissa dessa bem original e interessante. Gostei de saber que os personagens foram bem desenvolvidos e fiquei curiosa sobre a escrita do autor.
    Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá
    não conhecia o livro mas parece ser uma leitura bem louca, não é bem meu gênero mas o enredo está legal e boa resenha

    Beijos
    http://realityofbooks.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Oiii Ana, como vai?
    Confesso que dessa vez a obra não despertou nada meu interesse, mas fiquei apaixonada pela sua resenha que está incrível mesmo <3
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  7. Oiii!
    Não conhecia o livro e achei engraçado a parte dos atores pornô.
    Já pensou se na vida real fosse assim? kkkk
    Gosto de distopias e eu leria esse com certeza.
    Beijos

    ResponderExcluir
  8. Oi.
    Eu adoro distopia, e ainda bem que você ressaltou que o livro é curto mas isso não interfere na qualidade da história.
    Tem tantas características que priorizo que você elogiou, como personagens bem elaborados, texto fluido e direto, diferencial na estruturação de uma nova religião...como não desejar fazer essa leitura?
    Ótima dica, ótima resenha.

    Beijos.
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
  9. Oiii
    Pela capa e pela sinopse não sei se leria. Apesar de seus elogios não me animei com o livro!
    Bjus

    ResponderExcluir
  10. Ana, nunca tinha ouvido falar do livro.
    E apesar da premissa ser bacana eu não sei se leria porque distopia não é muito minha praia.
    Parece interessante como o autor trabalhou a religião.

    ResponderExcluir
  11. Achei bacana a forma como ele tratou fanatismo religioso em uma sociedade distópica. Não conhecia o livro, mas adorei a premissa. Como gosto de distopia, ele foi pra lista! ;)

    ResponderExcluir
  12. Oi!
    Infelizmente o livro não me despertou interesse. Mas ainda sim adorei sua resenha, quase fui convencido por ela, haha!

    Beijos
    http://www.mundoinvertido.com/

    ResponderExcluir
  13. Não conheço, mas já gostei do enredo por se trats de distolja, controles. Muito bacana sua opinião. Eu tbm gostode leituras rápidas.

    ResponderExcluir
  14. Fico feliz de saber que é um bom livro, embora curto. Achei interessante, talvez no futuro eu dê uma chance ao livro.

    ResponderExcluir
  15. Oi, Ana!
    Interessante a premissa desse livro. Ainda não tinha visto uma sinopse semelhante. Eu até gosto de livros futuristas, acho curiosos, mas no momento estou evitando incluir mais livros na minha pilha. Talvez eu leia mais para frente.

    Beijos,

    Rafa [ blog - Fascinada por Histórias]

    ResponderExcluir
  16. Eu não conhecia o livro, mas confesso que me interessei pelo enredo. Fiquei no mínimo curiosa. Darei uma chance pra essa leitura, aliás, adorei a sua resenha.

    http://laoliphant.com.br/

    ResponderExcluir
  17. não entendi muito isso de ''sonhos religiosos'' com a personagem, achei curioso.

    ResponderExcluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo