24.4.17

[Resenha] Os 13 Porquês :: Jay Asher

Os 13 Porquês
Autor: Jay Asher
Editora: Ática
Páginas: 256
Ao voltar da escola, Clay Jensen encontra na porta de casa um misterioso pacote com seu nome. Dentro, ele descobre várias fitas cassetes marcadas com números pintados em esmalte azul. O garoto ouve as gravações e se dá conta de que elas foram feitas por Hannah Baker, uma colega de classe e antiga paquera, que cometeu suicídio duas semanas atrás. Nas fitas, Hannah explica que existem treze motivos que a levaram à decisão de se matar. Clay é um desses motivos. Agora ele precisa ouvir tudo até o fim para descobrir como contribuiu para esse trágico acontecimento.
Você provavelmente já ouviu falar ou até mesmo já maratonou a série dos 13 Porquês, mas você já leu o livro do Jay Asher? Eu prometo que, mesmo que você pense que já sabe de toda a trama por causa da série, o livro vai te surpreender. 



Para quem só ouviu falar por cima da história, o livro narra o dia em que Clay Jensen chega em casa e encontra um pacote de sapato endereçado a ele. Dentro da caixa estão 13 fitas cassetes, cada uma marcada com um número pintado em esmalte azul. Muito curioso com o que elas poderiam ser, ele coloca a primeira para tocar em uma rádio antigo de seu pai na garagem de casa. 


“Olá, meninos e meninas. Quem fala aqui é Hannah Baker. Ao vivo e em estéreo.” 

Hannah, a remetente das fitas, é uma menina que cometeu suicídio alguns dias atrás. Ela e Clay se conheciam principalmente por causa da escola e porque Clay gostava dela. Nas fitas, ela diz que cometeria suicídio e, a partir de 13 fitas, ela vai contar os 13 motivos que a levaram a tirar sua própria vida. As fitas serão passadas por 13 pessoas que influenciaram sua decisão, ou seja, se você receber o pacote, significa que você é um dos motivos. Assim que a pessoa ouve tudo, ela é obrigada a passar a caixa para o próximo da lista e, para garantir que todos ouçam e que a levem a sério, Hannah fez uma cópia de cada fita que será divulgada na mídia caso alguém resolva não ouvir tudo. 

O livro gira em torno da tarde e madrugada em que Clay recebe essas fitas e, chocado, passa a ouvir tudo muito rápido, desesperado para entender melhor a decisão de Hannah e como o seu nome se encaixa em tudo, já que ele não se lembra de ter feito nada de relevante para a menina. 



É um livro muito rápido de ler e os capítulos são divididos de acordo com as fitas. Hannah começa a falar em cada capítulo e Clay narra os eventos em que ouve as falas e se lembra dos ocorridos. Assim, a leitura se torna quase um diálogo em que Hannah fala e Clay responde como ele tinha percebido as histórias, mesmo sabendo que já é tarde demais e que ninguém está do outro lado para ouvi-lo. 

Esse foi um livro que eu tinha já fazia muito tempo, mas só resolvi ler quando a série lançou. Me arrependi profundamente de não ter lido antes, já que achei o impacto do livro muito superior ao da série. 



O livro trata muito sobre assuntos que principalmente os adolescentes precisam ouvir. Temas como bullying, machismo, fofocas, exclusão social e abuso são presentes em toda a narrativa, o que faz com que ela se torne um pouco pesada. Mesmo assim, achei que o autor conseguiu falar sobre tantos problemas de uma forma não invasiva ou preocupante que fiquei impressionada. Jay Asher conseguiu mostrar o quão errado muitas coisas são e como é preciso ter voz e empatia durante a vida.  


“Ninguém sabe ao certo o impacto que tem na vida dos outros.” 

Apesar de toda a história girar em torno do suicídio da Hannah, eu achei que toda a narrativa de como chegou lá e os outros problemas sociais que são colocados na trama ganham muito mais destaque do que a morte da menina. De uma forma geral, achei isso bom, porque acaba não romantizando o ato e incentivando as pessoas a fazer isso. 

A ideia central do livro é justamente mostrar para as pessoas como tudo o que nós fazemos e dizemos tem um impacto muito grande no mundo. É um livro para incentivar o auto-conhecimento e a reflexão do que os nossos atos podem causar em outras pessoas. Aqui vale muito aquela velha história de que cada pessoa está travando uma batalha interna da qual nenhum de nós sabe ou pode julgar. Por isso, ser gentil, amigo ou, no mínimo, respeitoso é essencial. O próprio livro mostra o quanto uma simples conversa amigável, por mais que rápida, já pode mudar o dia de alguém. 


“É importante estarmos consciente do modo como tratamos os outros. Mesmo que alguém pareça ignorar um comentário casual ou não se deixar afetar por um boato, é impossível saber tudo o que se passa na vida daquela pessoa e o quanto podemos ampliar sua dor.” 

Vale muito ressaltar que a narrativa não passa a ideia de que pessoas com depressão intensa que cometem suicídios podem ser salvas. Muitas vezes se trata da própria batalha interna da pessoa, mas ser gentil pode sim mudar a vida de muitas pessoas envolvidas. 



Adorei muito o livro e acho que ele nos faz refletir sobre muitas coisas que fazemos diariamente e como isso pode mudar a vida das pessoas à nossa volta. Apesar disso, não indico para pessoas que não se sintam confortáveis lendo cenas fortes, já que elas fazem parte da narrativa. Portanto, se você não achar que vai se sentir bem, já vale a mensagem que eu tentei passar aqui na resenha.


12 comentários:

  1. Li este livro em 2014 e como você, aproveitei bastante a leitura e refleti muito sobre o poder que o nosso comportamento tem na vida do outro. Gostei bastante da série também, mas com algumas ressalvas.
    MEU AMOR PELOS LIVROS
    Beijos

    ResponderExcluir
  2. Olá!! :)

    Eu confesso que estou com imensa vontade de fazer esta leitura e de assistir a serie que a adaptou!

    Acho o problema atual e acho ótimo que o livro nos leve a refletir sobre ele... E deixando claro que se trata mais de um aluta interna, mesmo que o apoio exterior ajude!

    Boas leituras!! ;)
    no-conforto-dos-livros.webnode.com

    ResponderExcluir
  3. Olá, tudo bom?
    Eu fui um dos que maratonou a série e que adorou tudo. Depois procurei saber um pouco mais sobre o livro e cheguei a lê-lo. Confesso que gostei mais da série do que do livro, pois é! A trama é bem interessante, mas no caso da série teve uma expansão boa dentro do que a história propôs. Adorei a resenha.
    Até mais o/

    ResponderExcluir
  4. Olá,
    Já faz muito tempo que quero fazer a leitura da obra mas não consegui ainda. Não consegui me segurar e acabei assistindo a série antes de fazer a leitura e se já gostei tanto dela, imagina com os detalhes que o livro tem a mais! Deve ser uma leitura bem intensa e angustiante por já saber o que irá acontecer.

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir
  5. Oi! Li esse livro ano passado um pouco antes de saber que iria virar série.
    Incrível como eu estava torcendo para que acontecesse algo que trouxesse um fim diferente. Como se em algum momento ela disse em uma das fitas que na verdade ela estava viva. Mas tanto o livro quanto a série servem para mostrar a realidade. Para mostrar que se não cuidarmos com as nossas atitudes poderá ser tarde demais... Realmente devemos ser gentis sempre, indiferente do que aconteça. Nem todo mundo reage às “brincadeiras” da mesma forma que as outras. Porque o resultado das “brincadeiras” mal sucedidas... Bem, são as várias Hannahs que não conseguimos salvar.

    ResponderExcluir
  6. Oi, eu gosto muito quando os livros trazem uma reflexão para o leitor. Não li o livro e não pude terminar a série por motivos de: cenas muito fortes. Eu não sei se leria, mas queria ter minha propria impressão da história, visto que está dando o que falar. Tbm não acho que a história romantize o suicidio, mas alerta às pessoas acerca do bullying.

    www.porredelivros.com

    ResponderExcluir
  7. Eu ainda não li o livro da série, estou louca de vontade para lê-lo. Sei que deve ser melhor, então para não ter spoiler, não pude me aprofundar muito em sua resenha.

    Acredito que se a série já causou angústia me muitas pessoas, deve ser mesmo como você disse: se você não fica confortável com cenas fortes, não deve lê-lo. Gosto muito de refletir sobre o que leio, então acredito que devo gostar muito da leitura!

    Abraços!
    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  8. Olá!
    Assisti apenas a série, não li o livro. Tenho muita vontade de ler apesar de as más ou boas línguas informarem que a série foi muito melhor. Lendo sua resenha me fez acreditar que terei que ler o livro pra tirar minhas próprias conclusões. Mas, adorei a série!
    Abs
    Nizete

    ResponderExcluir
  9. Oiee!!
    Estava meio com um pé atrás, tanto para assistir à série quanto para ler o livro. Não estava conseguindo deixar de relacionar a popularização da série com a popularização do jogo da baleia azul, e isso estava me preocupando bastante.
    Dessa forma, achei importante você salientar que em momento algum a história romantiza o suicídio, e que trabalha com as questões da empatia e da gentileza.
    Acho que em breve terei coragem de assistir à série, e quem sabe, também ler o livro.
    Obrigada por me mostrar outra visão!
    Um beijo

    www.asmeninasqueleemlivros.com

    ResponderExcluir
  10. Olá, ainda não li o livro estou com ele em e book para ler, porém comecei a assistir a série e não consegui terminar, trata-se de assunto muito forte e complicado, creio que é preciso estra emocionalmente pronto pra digerir tudo que acontece na história enfim, adorei a resenha, beijos!

    ResponderExcluir
  11. Oi!! Antes de lançarem ou cogitarem a série eu li essa obra e não poderia concordar mais com você! Um ponto que eu gosto do livro é o fato do Clay querer saber logo todos os detalhes, como as coisas contribuíram para isso, o que na série leva muito mais tempo. A mensagem que o livro traz e a lição de moral é bem maior e mais importante do que a consequência em si, o livro não é sobre a morte da Hannah, mas sim sobre as pessoas que ficaram e que fizeram isso com ela. Então é realmente um mundo totalmente novo e diferente para aqueles que mesmo que viram a série, lerem. Eu sou fã desse livro e tenho em mente que todo mundo deveria lê-lo e refletir sobre. Amei sua resenha!
    Um beijo
    www.brookebells.com

    ResponderExcluir
  12. Eu devorei esse livro em uma tarde e fiquei muito chocada, pois nunca tinha lido nada parecido. Me fez refletir muito sobre a influência que a gente tem na vida dos outros. Em geral a gente só pensa na influência dos outros na gente. Foi uma experiência triste, mas boa. Hoje sei que tenho mais consciência. Adorei sua resenha. Importante ressaltar mesmo que possui cenas fortes. Isso pode chocar.

    ResponderExcluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo