16.6.17

[Resenha] Life To My Flight :: Lani Lynn Vale


Lights to my Siren - The Heroes of the Dixie Wardens MC #5
Autora: Lani Lynn Vale
Páginas: 269
Skoob  | Goodreads | Amazon

Sinopse traduzida - Você é a Vida...
Cleo é um Pararescueman da força aérea americana. Quando um PJ é chamado, é porque todos os outros disseram não. É um dos empregos mais perigosos de todo o exército, mas também um dos mais gratificantes. É a razão pela qual ele não quer relacionamentos. Ele tem visto seus companheiros se divorciarem, um por um, e ele não quer fazer isso com uma mulher. Especialmente, uma que ele devia amar. No entanto, em nenhum lugar no seu grande plano, ele se preparou para a força que era Rue.
...Para o meu...
A vida de Rue tem sido difícil. O que ela precisa é de uma pausa. Uma que vai distraí-la do fato de que está se afogando em responsabilidade. E ela vem em forma de um motoqueiro sombrio e perigoso, que têm o hábito de colocar sua vida em risco. Ele dá a ela o mundo, e ela o agarra com as duas mãos, mesmo sabendo que ele só quer que sejam amigos.
...Voo.
Pensando que sabe o que é melhor, ela o pressiona, fazendo com que o controle dele levante voo e Cleo desapareça antes da poeira baixar. Uma noite de paixão transforma-se em um ano de coração partido, enquanto Rue tenta encontrar a capacidade de superar Cleo. Ele foi bem claro com relação aos seus desejos e eles não a incluem. Porém, Cleo não terminou com Rue. Nem começou. Ela vai ser sua. Tudo isto irá precisar somente de um pouco de... persuasão.
O quinto livro da série tem como protagonistas Cleo e Rue. Dois anos antes, Cleo perdeu a sua melhor amiga, sua mãe. Desde então ele não era a mesma pessoa, pois perdeu uma grande parte de si. 
“Minha mãe foi minha melhor amiga. Ela foi minha confidente. Minha Salvadora. Meu tudo. Então, ela teve um ataque cardíaco enquanto eu fui enviado para o exterior, e morreu consequentemente. Meu pai tinha morrido há anos, mas palavras não conseguiam explicar como doía mais perder a minha mãe.” 
Um ano após a perda de sua mãe, Cleo conhece Rue no cemitério. Ela está levando sua Nonnie (avó) para visitar o túmulo do pai. Nonnie está com Alzheimer, uma doença traiçoeira que vai roubando as lembranças mais preciosas da pessoa. Rue ama sua Nonnie, a única família que ela tem e a jovem faz de tudo para mantê-la feliz e bem cuidada. Quando Nonnie confunde Cleo com seu filho, acaba interligando o caminho de Rue e Cleo. 

Com o tempo, os dois firmam uma amizade e se tornam inseparáveis. Praticamente fazem tudo o que um casal faz, menos a parte amorosa. Para Rue, não ter essa parte no relacionamento com Cleo machuca, mas Cleo está decidido a não perder mais ninguém em sua vida. 
“Não tinha nada a ver com o fato dele ser um PJ, ou um pararescue jumper e tudo a ver com o fato de perder seu pai quando ainda era muito jovem, e à sua mãe em um momento quando mais precisava dela. Ele estava cansado de amar. Não porque ele foi traído por uma mulher, mas porque foi amado demais por outra. Que foi correspondido da mesma forma por ele. A mãe dele. O mesmo ocorria com as suas irmãs. Elas eram tão tensas, que às vezes era difícil entrar. Eu era a quarta mulher em sua vida, e ele não queria tentar me amar e depois me perder.” 
Porém, em uma noite, Cleo cede aos desejos de Rue e some no dia seguinte. Rue ficou destruída. Ser abandonada pelo melhor amigo e não ter mais notícias dele estraçalhou o seu coração de uma forma inimaginável. Demorou muito tempo, mas ela recolheu os pedaços e remendou da melhor forma possível. Alguns anos se passaram e ela continuou focada no seu trabalho de enfermeira e vive uma vida rodeada de amigos, mas ao mesmo tempo solitária. 

Imaginem a surpresa de Rue quando em um dia normal de trabalho no hospital surge o resgate aéreo trazendo uma vítima e um dos paramédicos é Cleo. Cleo teve tempo para pensar e quase perdeu sua vida. Tal fato foi um fator decisivo para correr atrás de Rue e tentar um relacionamento com ela. Só que ele vai precisar se esforçar muito para ter a atenção da mulher que alguns anos antes não teria hesitado em aceitá-lo em sua vida. 

Rue tem vinte oito anos de idade e é enfermeira há quase dez anos, mas tornou-se uma enfermeira SANE (Sexual Arnault Nurse Examinar - enfermeira que faz exames em vítimas de abusos sexuais) há apenas cinco anos. 

Quando um caso controverso chega em suas mãos, Rue não faz ideia de que a sua própria vida encontra-se em risco. E Cleo irá se certificar que nada aconteça com a mulher que ele magoou terrivelmente. 

Enquanto Cleo, Rue e todo o MC tentam descobrir a verdade sobre esse caso de abuso, Cleo e Rue terão a oportunidade de esclarecer o passado e Cleo irá torcer para que Rue seja capaz de perdoa-lo. 

Rue é uma mulher forte, determinada e totalmente dedicada aos seus pacientes e amigos. Porém, por trás de toda essa armadura existe uma jovem solitária e magoada. Ter reencontrado Cleo abre feridas profundas na jovem, que se recusa a ter o coração despedaçado novamente. 

Cleo é um homem de família, que se dedica integralmente a suas três irmãs e aos seus irmãos do MC. O problema é que para ele, suas irmãs são perfeitas e ele é inconsciente das artimanhas delas para conseguir a sua atenção. Sem mencionar a forma como tratam Rue.

0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo