19.7.17

[Resenha] Quando tudo faz sentido :: Amy Zhang

Quando tudo faz sentido
Autora: Amy Zhang
Editora: Rocco
Páginas: 320
Skoob  | Goodreads | Amazon
Liz Emmerson é uma garota popular no colégio e tem uma vida aparentemente invejável. Por que ela tentaria tirar a própria vida, simulando um acidente de carro depois de assistir a uma aula sobre as Leis de Newton? Neste surpreendente romance de estreia, Amy Zhang, que nasceu na China e mora no estado de Nova York, aborda temas como abandono, bullying, depressão e suicídio com uma narrativa crua e pungente que vai arrebatar os fãs de obras como As vantagens de ser invisível, Nuvens de Ketchup e Meu coração e outros buracos negros, entre outros. Na trama, Liz é resgatada por Liam, um garoto que ela sempre desprezou, mas talvez uma das poucas pessoas ao seu redor capaz de enxergá-la além das aparências. Envolvente e emocionante, o livro – que prende também pelo mistério se a protagonista vai ou não sobreviver (e que só é revelado no final) – mostra a fragilidade, a solidão e os dilemas dos jovens de forma sensível e sincera.

A melhor maneira de começar essa resenha é dizendo: "Não se deixem levar pelas aparências". Tal frase parece ser a mais velha e dita do mundo e ainda sim a menos levada a sério, todos - e eu me refiro a todos mesmo - em algum momento se deixaram levar pelo externo e foram surpreendidos pelo interno, e eu acho que essa é exatamente a pegada geral desse livro.


A Rocco teve uma sacada sensacional ao nos presentear com essa capa fofinha que não condiz em nada com seu interior tenso e turbulento. Então lhes digo, se estão esperando um romance fofinho ou algo parecido... meus queridos não se enganem mais, que esta obra está mais para "Por Lugares incríveis" que "O garoto que mora ao lado". 

Liz Emmerson tem tudo que uma adolescente pode querer, uma mãe pouco presente, muito tempo para si, a popularidade total no colégio, amigas que a seguem em tudo - inclusive em suas burradas - e o namorado vai e volta que todas desejam. E assim ela se tornou a pessoa cheia de camadas e mais camadas que ela é hoje, porém não adianta quantas camadas mais ela crie, sua mente sempre lhe grita que a verdadeira Liz não está satisfeita com a nova Liz, nenhum pouco satisfeita.


Vivendo uma vida inconsequente e desregrada, movida a álcool e drogas, Liz não aguenta mais o silêncio de sua casa e os gritos de sua consciência. Não aguenta mais a culpa por sua ações maldosas e a vontade de voltar a época em que ela ainda era a menina de quem ela se orgulhava. Mas seu pai morreu e com ele morreu a menininha que acreditava que podia ser ela mesma.

Assim, sem aguentar mais Liz decidi que não há mais sentido ou lugar no mundo para ela. Como ela ouviu e não entendeu na aula de física o mundo é cheio de ações e reações. As ações dela já foram feitas, agora só falta as suas reações. 

Liz Emmerson decide que está na hora de partir.

O acidente não é bonito, e entender sua mente é angustiante pois você se identifica de várias maneiras e quer mais que tudo ajudá-la de alguma forma. Tudo que Liz precisa é um motivo para viver, mesmo que pequeno, ela o caça com todas as forças e não o encontra e então você pensa que tudo que ela precisava era que alguém visse o pedido de ajuda por trás de toda aquela fachada de menina má.

E alguém vê. Liam um jovem que sempre foi apaixonado por Liz, mas nunca se sentiu confiante de se aproximar, presencia o acidente e a salva, se não fosse por ele ela poderia ter morrido na beira da estrada, mas agora ela está lutando por sua vida entre cirurgias e salas de UTI.


Narrado de inúmeros pontos de vista, inclusive um do passado de Liz, você conhece o mundo e as pessoas que a cercam e nota o quão frágil são as relações humanas, percebe que muitas vezes vemos sem de fato ver e que ignoramos pequenas coisas que podem fazer total diferença na nossa vida e na vida do outro.
"Será que não percebem? 
O pensamento existe em todo lugar. 
O que Julia não sabe é o seguinte: Liz sabia. Liz sempre soube que as drogas estavam destruindo a vida de Julia. Ela sabia que a culpa era dela. Sabia que os Ziplocks deixavam a amiga solitária, mas não sabia como ajudar. Em certas noites, Liz olhava para trás e contava os cadáveres, todas as vidas que tinha arruinado pelo simples fato de existir. Então escolheu deixar de existir."
Ler Quando tudo faz sentido me deixou no chão estapeada, me fez chorar e meu coração pesar com a dor do "e se eu tivesse...", "podia ter sido diferente..." e "de alguma forma eu sabia...", pois nós sabemos, na maioria das vezes sabemos mas preferimos não ver, porque nossa sociedade está tão crente de que isso não é algo discutível ou aceitável e por conta disso não falamos ou discutimos.

Mas devemos falar e discutir, não devemos nos deixar consumir e ruir internamente a ponto de desistir ser a melhor opção, pois acreditem dói em cada pessoa que pensa em abandonar o mundo, dói muito, mas a perspectiva de continuar existindo é muito mais dolorosa. Então me perguntei: o problema está neles ou no mundo, sociedade e pessoas que os cercam e os põem nesse dilema?

Mais que recomendado, este livro entrou para meus queridinhos. Uma baita reflexão para avida toda.


Postado por
Agatha

0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo