18.8.17

[Resenha] Right To My Wrong :: Lani Lynn Vale


Right to my wrong The Heroes of the Dixie Wardens MC #8
Autora: Lani Lynn Vale
Páginas: 344
Skoob  | Goodreads | Amazon
Sinopse traduzida - Sterling é um herói de guerra condecorado. Ruthie é uma ex-presidiária. Seus mundos nunca deveriam ter colidido, mas o destino tem uma maneira de transformar a vida, guiando na direção que menos se espera. Agora Ruthie tem que tentar chegar a um acordo com o fato de que está apaixonada por um motociclista que também é um SEAL condecorado da Marinha. Aquele que sai por meses em pouco tempo ou nenhum aviso prévio, levando seu coração com ele a cada vez que vai. Sterling tem um monte de coisas para superar para que Ruthie seja o mais importante em sua mente. Ela não acha que é boa o suficiente. Ele acha que ela é perfeita. Agora cabe a ele mostrar-lhe o quão bom ele pode ser.
Os protagonistas são Starling e Ruthie. Starling é um dos irmãos do MC que ainda está na ativa no serviço militar e gosta disso. Estar em missões, resgatar alguém, servir o seu país são coisas que o deixam feliz.

Em um de seus retornos o MC realiza uma festa de boas-vindas e conhece Ruthie. Ela foi libertada mais cedo graças a Silas, quando ele investigou o seu caso e viu que também tinha algo errado. Como ela é a melhor amiga de Sawyer, ele fez de tudo para deixá-la livre e ajudá-la a se adaptar na cidade.

Como Sawyer, Ruthie pegou um tempo longo demais de prisão por um crime que não merecia isso. Ela foi presa por assassinato do marido, mas foi em legítima defesa. O marido dela batia constantemente em Ruthie, inclusive enquanto ela estava grávida. Um dia, ela chegou ao ponto de ruptura e revidou os ataques. Com 34 anos, tudo o que Ruthie quer é um pouco de sossego e ser deixada em paz para remoer a dor de ter perdido sua bebê querida.
“Meu pai deixou minha mãe. Minha mãe sentiu que os benefícios de me ter ao seu lado eram muito pequenos então me deu para adoção. Eu nunca encontrei ninguém para me adotar, portanto, passei doze anos no sistema de acolhimento. Quando fiz dezoito anos, fui colocada na rua e fiz a única coisa que podia fazer. Encontrei um homem que pudesse me apoiar. Mas ele também gostava de me bater. Após um ano de só apanhar, eu o matei, disse suavemente.”
Starling tem muito em comum com Ruthie. Com 32 anos de idade, ele passou por lares adotivos, indo parar em um realmente ruim. 
"Não significa que eu não me sinto um pouco responsável. Eu sabia de você, minha mãe me deu essa informação. Eu poderia ter dito a você quem eu era... Eu só não queria. Eu não queria ser associada a ela. Eu a odiei... odiava que não tinha permissão para ir lá fora. Odiava como ela me mantinha em um armário quando tinha seus homens lá. Odiava como ela 'esquecia-se de me alimentar’. Odiava como eu tinha que ouvir ela e suas conquistas ter sexo toda a noite. Odiava que tinha uma escola perto para aprender... mas ela não me deixava ir. Eu a odiava. Odiava minha vida. Eu queria algo diferente... então eu não lhes disse quem eu era. Se eu tivesse feito isso," balancei minha cabeça. "Eu poderia ter tido uma vida diferente."
Ele só conseguiu sobreviver no local por conta de outros jovens que estavam lá, jovens que se tornaram seus irmãos e com quem ele divide um laço forte: Cormac e Garrison. Cormac está treinando para se tornar um jogador de beisebol profissional. Garrison é professor e o protetor do trio. Enquanto Starling está em suas missões, é ele quem cuida de Cormac e mantêm tudo em ordem.
“Cormac era o jogador de beisebol. Ele estava a cerca de um mês para começar sua última temporada de beisebol na ULM. A Universidade de Louisiana de Monroe teve a sorte de tê-lo pelo que eu tinha ouvido. Ele era mais velho do que todos os outros jogadores, com vinte e cinco anos, tendo começado a frequentar a faculdade quando tinha vinte e um. Cormac tinha cerca de 1,85 de altura, massa muscular magra, cabelo preto e um sorriso rápido. Seu outro irmão, Garrison, era da mesma idade de Cormac. Embora seja onde as semelhanças terminam. Garrison não era o que eu chamaria de 'bonito'. Ele era, do meu ponto de vista, médio para ser chamado de bonito. Ele tinha no rosto uma carranca perpétua, o que raramente podia ser vista através da barba espessa. Ele estava em forma, embora. Muito boa forma. Ele queria ser o que mantinha os outros dois na linha. Ele era atualmente um professor de ciências do ensino médio, técnico de beisebol do Colégio Shreveport e, provavelmente, o mais temido homem na escola.”
Starling está interessado em Ruthie e demonstra isso constantemente, mas Ruthie acredita que irá arruinar a carreira e o futuro dele por ser uma ex-presidiária. Então, ela se mantém à distância, mas é difícil quando Starling está determinado.
“Alto, com braços musculosos. Ombros largos. Profundos olhos verdes e uma porção bagunçada de cabelo loiro sujo caindo sobre os olhos. Ele era o sonho de toda mulher. Sua barba era daquelas que foi cultivada em caso de necessidade, em vez de estilo, do tipo que tinha permanecido um tempo no deserto e longe de uma navalha. O que é normal, de acordo com a homenagem que estão dando a ele, era por estar voltando para casa de sua implantação no Afeganistão.”
O livro vai abordar três vertentes do relacionamento do casal: a vida militar do Starling (suas missões, ausências e como Ruthie lida com isso); o motivo de Ruthie ter ficado tanto tempo presa e o passado dos dois (seus lares temporários, as dificuldades encontradas e pessoas que retornam). 

Ambos os protagonistas passaram por situações difíceis e é fácil para o leitor gostar deles. Ruthie é inteligente e independente, e apesar de amar a Sawyer como uma irmã, precisa de certo distanciamento emocional de todos para encontrar um equilíbrio, pois a perda da filha durante a gravidez a abalou de tal forma, que a mudou profundamente. 
“Meu marido, Bender, tinha sido um verdadeiro idiota. Ele gostava de me bater quando bebia. Batia quando não bebia. Batia quando estava louco. Batia em mim quando eu olhava para ele de forma engraçada. Batia quando eu me esquecia de lavar o seu uniforme. Você poderia pensar que era muito Bender bater-me assim. Ele literalmente odiava tudo em mim. Mas ele me engravidou quando eu tinha dezoito anos e seus pais lhe obrigaram a ‘fazer a coisa certa’. E ele odiava isso.”
Starling e Ruthie são duas almas quebradas na infância que precisam ser amadas incondicionalmente. Eles são vulneráveis, apesar de não admitirem isso e anseiam por encontrar alguém que os faça se sentir inteiros.
“Se os tempos fossem diferentes... Se a vida fosse diferente... Sterling e eu poderíamos ter perseguido o que eu podia sentir entre nós.” 

0 comentários:

Postar um comentário

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo