controles do slide

2.12.17

[Resenha] Origem :: Dan Brown

Origem - Robert Langdon #5
Autor: Dan Brown
Editora: Arqueiro
Páginas: 432
De onde viemos? Para onde vamos? Robert Langdon, o famoso professor de Simbologia de Harvard, chega ao ultramoderno Museu Guggenheim de Bilbao para assistir a uma apresentação sobre uma grande descoberta que promete "mudar para sempre o papel da ciência". O anfitrião da noite é o futurólogo bilionário Edmond Kirsch, de 40 anos, que se tornou conhecido mundialmente por suas previsões audaciosas e invenções de alta tecnologia. Um dos primeiros alunos de Langdon em Harvard, há 20 anos, agora ele está prestes a revelar uma incrível revolução no conhecimento... algo que vai responder a duas perguntas fundamentais da existência humana. Os convidados ficam hipnotizados pela apresentação, mas Langdon logo percebe que ela será muito mais controversa do que poderia imaginar. De repente, a noite meticulosamente orquestrada se transforma em um caos, e a preciosa descoberta de Kirsch corre o risco de ser perdida para sempre. Diante de uma ameaça iminente, Langdon tenta uma fuga desesperada de Bilbao ao lado de Ambra Vidal, a elegante diretora do museu que trabalhou na montagem do evento. Juntos seguem para Barcelona à procura de uma senha que ajudará a desvendar o segredo de Edmond Kirsch. Em meio a fatos históricos ocultos e extremismo religioso, Robert e Ambra precisam escapar de um inimigo atormentado cujo poder de saber tudo parece emanar do Palácio Real da Espanha. Alguém que não hesitará diante de nada para silenciar o futurólogo. Numa jornada marcada por obras de arte moderna e símbolos enigmáticos, os dois encontram pistas que vão deixá-los cara a cara com a chocante revelação de Kirsch... e com a verdade espantosa que ignoramos durante tanto tempo.
Mais uma vez Robert Langdon protagoniza outra trama de Dan Brown. Desta vez, o professor se envolve diretamente com a Corte Real da Espanha e se mete em uma enrascada ao participar de um evento cujo desenvolvimento se transforma em tragédia. Poucos enigmas e uma história mais rápida e rasa são características fortes de "Origem", sétimo livro de Brown

Ao ser convidado para uma apresentação revolucionária de seu amigo Edmond Kirsch, Robert Langdon não imaginava que o tema principal a ser abordado pelo rapaz seria religião. Ateu assumido, Krisch passou anos procurando respostas para as clássicas perguntas: "De onde viemos? Para onde vamos?". Até que, enfim, decidiu revelá-las para o mundo todo. 

Contrariando a Igreja e todos os seus dogmas, o amigo de Langdon, com o apoio da futura princesa do país, Ambra Vidal, começará um discurso profético que abalará todo o mundo. Contudo, uma tragédia iminente põe fim ao evento noturno, levando Langdon a se juntar a Ambra e ser o principal suspeito do burburinho ocorrido durante o discurso. Para provar inocência e não deixar que as palavras de Kirsch morram, o professor e Ambra correrão atrás do segredo que o ateu estava disposto a passar adiante, o segredo que responde às perguntas. Para isso, eles contarão com a ajuda de uma Inteligência Artificial, o computador Church, que os guiarão pela profecia pensada por Kirsch. 

"Origem" tem uma premissa magnífica e promete reviravoltas no modo de pensar do leitor. Em alguns momentos da leitura pensei que nunca entenderia, porém, o que o autor queria passar, e isso me provocou medo. Dan Brown nunca é direto, e estava sendo nesse livro. Acontece que a falta de enigmas me deixou decepcionado, e eu temia o fim do livro sem que nada de especial acontecesse. Contudo, eu estava meio enganado. 

Meio porque, embora a história me chame a atenção, está longe de ser um suspense magnífico. É, de longe, a trama mais fraca do autor. Mas isso não quer dizer que seja ruim, afinal. Consegui me envolver com os acontecimentos, com os personagens, sem imaginar o que poderia vir no final. Ou seja, um ponto positivo. O negativo é que simplesmente Dan Brown descartou as brincadeiras, os jogos de desenvolvimento da trama e os mistérios, talvez por preguiça, ou talvez porque ele tenha decidido criar uma obra lenta e corrida. Foi o que aconteceu com "Origem", cujo desenvolvimento é muito semelhante aos demais livros com Langdon. 

E enfim, a grande revelação, aquilo que me encantou logo que abri o livro e li as perguntas que seriam feitas. Porém, nada na literatura é como eu penso ao ler a sinopse, tudo acontece de maneira divergente. As grandes perguntas, para mim, foram respondidas iguaizinhas às respostas que meus professores de biologia me davam na infância. Nada de novo, tudo muito antigo e longe de ser impactante. 

A leitura é válida, mas pra quem curte Dan Brown como eu vai notar a queda na escrita, a lentidão parecida com Stephen King mas longe de ter uma trama tão bem elaborada quanto a dele. "Origem" é um lançamento de outubro da editora Arqueiro. 

comentários pelo facebook:

Nenhum comentário

Postar um comentário

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

últimas resenhas