controles do slide

9.9.20

[Resenha] Palácio da Traição :: Jason Matthews


Palácio da Traição - Red Sparrow #2
Autor: Jason Matthews

Editora: Arqueiro
Páginas: 448
Skoob  | Goodreads | Amazon Americanas Submarino       
A Capitã Dominika Egorova, espiã do SVR, o Serviço Secreto Russo, acaba de retornar a Moscou depois de uma temporada no Ocidente. O que ninguém desconfia é que ela está trabalhando para a CIA como a principal agente de Washington infiltrada no SVR e no Kremlin. Para complicar ainda mais essa situação arriscada, Dominika está apaixonada pelo seu contato na CIA, o agente Nate Nash, e o clima de desejo entre eles é tão perigoso quanto ser espiã dupla em Moscou. Talvez mais. Enquanto tenta realizar sua missão, a agente precisa lidar com desafios como um chefe criminoso, tentativas de assassinato, emboscadas de contrainteligência e – o mais assustador – uma conversa noturna com o presidente Putin, vestida apenas com uma camisola. E quando um infiltrado depara com o nome dela numa lista secreta de fontes, a sentença de morte de Dominika é decretada.

Palácio da Traição é o segundo livro da trilogia Red Sparrow, sendo este a continuação do livro Roleta Russa, que foi adaptado para o cinema como ‘‘Operação Red Sparrow’’ e acabou também tornando-se o novo título da obra literária (pode conferir a resenha clicando aqui).

Em Palácio da Traição continuamos a acompanhar os protagonistas da obra anterior, Dominika Egorova (SVR) e Nathaniel Nash (CIA), sendo que nessa nova obra eles enfrentarão novos inimigos e situações de inteligência e espionagem. Desde já vos alerto, não é necessário ler o primeiro livro para ler esse segundo pois o autor faz um excelente trabalho ao relembrar e relatar os acontecimentos do livro anterior, ambientando assim o leitor quanto a esse rico universo. Todavia por ser fã da série, não posso deixar de indicar a leitura dos dois livros publicados até o momento.
      
‘‘Foi aos 5 anos que Dominika começou a enxergar as cores das auras: azuis e vermelhos nas palavras que via nos livros; marrons e roxos nas melodias que ouvia a mãe tocar no violino; azuis e dourados nas historinhas que o pai professor contava na hora de dormir, ora em russo, ora em francês ou inglês. Aos 6 anos foi diagnosticada, secretamente, como uma portadora do dom da sinestesia por um psicólogo colega do pai, que também identificou nela um dom adicional para ler a emoção das pessoas a partir das cores na aura de cada uma.’’

Dominika, após os acontecimentos em Operação Red Sparrow, agora é capitã, e continua a auxiliar os Estados Unidos como sua informante, sendo que agora tem um novo nível de acesso a informações confidenciais após ter reconquistado a confiança de sua pátria. A capitã passa então a sempre fazer-se presente e essencialmente útil ao seu governo.

Com novas missões e personagens inseridos na trama, Dominika precisa demonstrar ao seu governante o quanto é confiável e uma peça chave para as operações orquestradas. Utilizando as táticas aprendidas na academia, como um pardal Dominika acaba por fazer aliados importantes nessa trama de interesses.

A capitã Egorova acaba por ser uma peça chave para que o seu governo descubra os planos relacionados ao secreto programa nuclear iraniano, enquanto insere a Rússia no esquema para tornar o seu país um aliado importante nesses planos que deverá trazer grandes resultados financeiros. É então que Dominika se vê frequentando o círculo íntimo do presidente russo.

Todavia, os planos de Dominka e da CIA sofrem com um novo empecilho: um agente americano está repassando informações importantes e sigilosas de inteligência à SVR e há boatos de que ele conseguiu uma lista com os nomes dos agentes infiltrados pela CIA, colocando Egorova numa situação de risco caso essa lista caia nas mãos erradas.

Nate e sua equipe da CIA, juntos a Dominika trabalharão para descobrir todos os planos orquestrados pelo Presidente, e os iranianos nesse jogo de poder, enquanto tentam descobrir quem é o traidor americano e frustrar os seus planos, bem como tentam a todo custo manter a identidade secreta de Dominika a salvo, tendo em vista que ela é uma importantíssima aliada para os americanos, e claro, por ser especialmente preciosa para Nate, tanto quanto agente patriota quanto pelos seus interesses estritamente pessoais pela conexão que tem com essa importante e sedutora agente.

‘‘Seb Angevine sabia que todo aquele carnaval de agentes duplos era na realidade um enferrujado anacronismo com origem na Guerra Fria. Apenas uma coisa havia mudado: hoje, produzir informações autênticas e relevantes para entregar aos adversários era uma tarefa complexa, laboriosa. Todos os serviços de inteligência do mundo já haviam caído na pegadinha de informantes voluntários previamente instruídos por seus verdadeiros chefes. Portanto, exigências cada vez maiores vinham sendo feitas no sentido de garantir a autenticidades das informações repassadas. O primeiro teste para qualquer informante era a entrega de algo realmente significativo, algo capaz de fazer um estrago concreto nos alicerces da segurança nacional. Não havia mais espaço para os peixes pequenos, para aqueles voluntários que entregavam apenas dados escassos, irrelevantes ou infundados.’’

Um dos pontos fortes de Palácio da Traição é o fato de a narrativa não ficar presa a apenas a um personagem. Nessa obra acompanhamos o ponto de vista e o que motiva a atitude de diversos personagens, tanto dos protagonistas, personagens secundários, quanto dos tidos como vilões. Acredito que essa técnica aplicada pelo autor nos propicie a ter mais empatia pelos personagens, ou não, já que conhecemos o que os move, quais são seus objetivos e se tem alguma virtude.

Palácio da Traição é uma obra que nos deixa vidrados, ávidos página após página por saber qual será os próximos passos dos personagens, quais técnicas de espionagem serão utilizadas e qual equipe envolvida sairá vitoriosa dos mais diversos tipos de situações. Sempre tendo em mente que os resultados de cada operação dependem dos riscos tomados.

Poder acompanhar os personagens em campo só me fez desejar que esse segundo livro também ganhe uma adaptação cinematográfica. Deixo aqui o registro de que espero o próximo livro ansiosamente. Então caso goste de um bom livro de espionagem com personagens astutos e sagazes, essa série é um must-read.

A única ressalva que eu faço é quanto ao último capítulo que me fez tirar uma estrela quanto a classificação desse livro. Espero que na próxima obra o autor consiga demonstrar onde quis chegar com o que foi exposto, pois caso ele não dê sequência ao explanado, na minha opinião foi desnecessário essa inserção na obra. 

Caso tenha ficado curioso(a) leia e me fale o que achou dessa obra. Não deixe de me contar nos comentários se já leu o primeiro livro ou se tem curiosidade de ler essa série literária, bem como se já assistiu ao filme do primeiro livro?

comentários pelo facebook:

3 comentários

  1. Oi, Andy como vai? Eu tenho curiosidade de ler este livro, embora o fato de ser série me desanime um pouco. Quanto ao filme eu também não assisti. Que bom que a leitura lhe agradou. Ótima resenha. Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi! Estou bem e você? Olha o primeiro livro foi lançado como stand-alone e só posteriormente o autor resolveu escrever uma nova obra. Sei que as vezes o fato de ser uma série pode desanimar, mas eu acredito que esta série vale a pena ser lida. Ademais, o primeiro livro tem um desfecho, então você não irá ficar com a sensação de um final em aberto.
      Abraços

      Excluir
  2. Nunca que eu ia imaginar que esse livro é continuação de Red Sparrow :OOOOOOO No caso, eu só vi o filme mesmo e curti, mas não sei se conferiria os livros; pelo menos por agora não me despertam interesse
    Beijos
    Balaio de Babados

    ResponderExcluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

últimas resenhas