controles do slide

3.4.21

[Resenha] Apenas Um Dia :: Gayle Forman


Apenas um Dia
#1
Autora: Gayle Forman
Editora: Arqueiro
Páginas: 320
Adicione a sua lista de desejados e/ou compre em:  Skoob  | Goodreads | Amazon Submarino Travessa
Sinopse: Allyson sabia muito bem quem era: uma jovem quieta e organizada que colecionava despertadores antigos e queria cursar medicina. Sua vida estava planejada e ela estava satisfeita com o que tinha.
Até que, no último dia de uma excursão pela Europa, ela conhece Willem, um ator holandês que lhe oferece a chance de ser outra pessoa, apenas por um dia. Em uma viagem inesperada a Paris, Allyson conhece um mundo inteiro que nunca pensou que pudesse existir: o amor, o desejo de explorar as possibilidades, a vontade de traçar um novo destino para si mesma. 
Apenas um dia é a primeira parte de uma duologia romântica que já conquistou milhares de leitores em todo o mundo. O segundo livro, Apenas um ano, é a versão de Willem para essa história inesquecível que mostra como as escolhas moldam nossos rumos.

Apenas um Dia é o primeiro livro de uma duologia, é um romance jovem adulto que conta a história da Allyson, uma aluna e filha exemplar que tem como melhor amiga a sua vizinha de infância e colega de colégio Melanie, com quem compartilhou tudo desde que eram pequenas. As duas acabaram de se formar no ensino médio e como presente de formatura de seus pais ganharam uma viagem de excursão pela Europa.

Além disso, enquanto Allyson é mais reservada e tem a sua vida toda planejada, Melanie é mais despojada e espontânea. Durante a viagem e querendo mudar por um dia a forma como toma decisões e por ter decidido se permitir a novas experiências, Allyson resolve junto da amiga inventar uma desculpa e ambas abandonam o grupo de excursão para irem ver uma apresentação de teatro a céu aberto no último dia de viagem junto ao grupo, irão ver a adaptação de uma das obras de Shakespeare que haviam sido convidadas por alguns desconhecidos na rua.

Durante a apresentação, Allyson se vê atraída por um dos atores, um dos desconhecidos que a haviam convidado para ver a peça, mas acaba por encerrar a noite logo após a apresentação. No dia seguinte enquanto vão para Londres de trem, por um acaso ou acidente do destino a jovem é abordada por ninguém menos que o ator com quem trocara olhares na noite anterior.

‘‘Seria uma loucura. Eu nem conheço esse cara, e meus pais podem descobrir tudo. Sem falar que não dá para conhecer Paris direito em um dia só. Fato é que essa história tem tudo para ser um desastre, eu sei disse. Mas nada tira minha vontade de ir.’’

A partir desse encontro o rumo da vida de Allyson muda completamente. Ao saber que um dos desejos da jovem era conhecer Paris e que a cidade havia sido tirada do seu roteiro de viagem, o jovem ator holandês que se apresenta como Willem oferece um tour pela cidade luz por um dia, já que na Europa as cidades são de fácil acesso, sendo preciso poucas horas para irem da Inglaterra a França. Acaba que Lulu, como acaba sendo chamada por Willem, aceita a proposta e junto desse desconhecido ela decide embarcar naquela que virá a ser uma das maiores aventuras de sua vida enquanto a amiga fica em Londres, prometendo que se reencontrarão após as 24 horas em Paris.

Os momentos, as decisões impulsivas e as experiências que os jovens vivenciam nos fazem imersos nas páginas da obra e desejosos de estarmos, assim como os protagonistas, perambulando e nos perdendo pelas ruas da cidade luz, pelo seu charme e pelo que ela pode oferecer a quem se permitir viver plenamente, nem que seja por apenas um dia.

Entretanto, como nem tudo são flores e a proposta era de que tudo acabasse após um dia, temos que o casal acaba se separando de uma forma um tanto quanto abrupta e até mesmo inesperada, deixando tanto o leitor quanto a protagonista com várias indagações sobre o que de fato aconteceu que ensejou na separação.
 
Então Allyson precisa voltar a sua realidade, e lidar com as lembranças daquele dia em que viveu intensamente, sabendo que gostaria de sentir-se assim sempre. Assim inicia a nova jornada de Allyson após a sua volta de Paris e sua tentativa de assimilar tudo o que houve enquanto os seus sentimentos entram em conflito com a sua vida já planejada há anos e o seu desejo de viver intensamente.


O que dizer desse primeiro contato que tive da escrita com a Gayle Foman? Confesso que esperava encontrar um romance bonitinho e bem água com açúcar e fui completamente surpreendida! Apenas um Dia está mais para uma história de autoconhecimento e amadurecimento com personagens bem desenvolvidos do que apenas uma simples história de romance.
 
Sim, há um romance que acontece no espaço de tempo de um dia (por isso o título), mas o livro não se restringe só a esse dia, ele narra o que acontece com a protagonista após esse encontro transformador, como era a sua vida e como ela seguiu a partir desse marco, pois é isso que esse ‘‘apenas um dia’’ significa: um marco na vida da protagonista, há o antes e o depois dessa experiência transformadora que nos mostra que um dia pode ser pouco, mas também pode ser o suficiente para causar um impacto gigantesco em nossas vidas.

Não vou narrar o que acontece durante esse dia dos jovens em Paris e nem as experiências descritas nesse romance contemporâneo, pois não quero de forma alguma entregar informações que farão da leitura uma grata surpresa. Mas adianto que uma parte especial da obra é conhecer diversos lugares pelo ponto de vista da protagonista, especialmente Paris.

Allyson teve que se perder e sair em busca de outra pessoa para então embarcar em uma jornada de amadurecimento, para então encontrar o essencial: a si própria; é sobre isso que o livro trata, não é apenas sobre um dia em Paris passado ao lado de um cara por quem a protagonista teve uma profunda troca de olhares, é sobre amadurecimento, como a vida de uma pessoa pode mudar completamente com apenas uma pequena decisão, um pequeno acidente, e como isso pode marcar profundamente e transformar uma pessoa de forma indescritível.

‘‘Não sei, não sei nem se ele está mesmo perdido. Talvez esteja exatamente onde deseja estar, talvez a perdida seja eu, indo atrás de alguém que não quer ser encontrado.’’

Há muito tempo que não sentia empatia por uma protagonista, vi na Allyson a sede de viver e se permitir, de sair dos padrões e das expectativas que outros depositavam nela, bem como as frustrações e tristeza de situações que fugiam ao seu controle. Ela facilmente se passaria por um pessoa real (diferente de muitas protagonistas a que fui apresentada) e esse pode ter sido um dos fatos de a leitura ter me agradado tanto, a Allyson poderia ser qualquer moça, ela é cheia de defeitos e incertezas, dúvidas sobre o seu futuro, e também cheia de qualidades que lhe passam despercebidas.

Apenas um Dia é uma leitura marcante e que nos faz questionar e ter momentos de autoconhecimento assim como a protagonista. A obra tem um final que surpreende e que nos faz desejar que tivesse alguns capítulos a mais após o seu final. Além disso, a escrita da Gayle é única, ela entrega a história de uma forma leve e que faz o leitor se conectar com a história que está sendo narrada e com as mensagens e ensinamentos que são transmitidos. 

Ademais, a leitura de Apenas um Dia superou as minhas expectativas e despertou tantos sentimentos durante a leitura que tornaram Apenas um Dia se não a melhor, com certeza uma das minhas melhores leituras do ano, e que me deixou com vontade de sair indicando a todos! Com toda certeza pretendo conhecer outras obras da autora e graças a Editora Arqueiro o que não faltam são opções, visto que já publicaram várias obras dela, incluindo a sequência de Apenas um Dia, intitulado Apenas um Ano que aparentemente irá acompanhar a história pela perspectiva de Willem.

Por fim, durante a leitura tive uma sensação de familiaridade, em certos momentos da leitura a ironia e reflexões me recordou das encontradas nos livros de John Green, enquanto o romance e a amizade, o não ver o outro lado de uma situação, bem como o tour e descrição de vários pontos em Paris me remeteram a Anna e o Beijo Francês, da Stephanie Perkins, entretanto são semelhanças suaves, mas elas me fazem acreditar que os fãs desses dois autores poderão apreciar a leitura de Apenas Um Dia, assim como eu.

P.S. Esteja avisada(o) que esse livro irá ter inspirar a se aventurar em busca de aventuras e a se perder em países que ainda não conhece.

Me conte nos comentários se você gosta de livros que nos levam a um novo país e a uma nova cultura, bem como se já leram algum livro da Gayle Foman?

comentários pelo facebook:

8 comentários

  1. Eu gostei da resenha, desde Se eu ficar nunca mais li nada da Gayle Forman, mas vou colocar esse na lista. ❤️

    https://www.yasmimramos.tk/

    ResponderExcluir
  2. Não li nenhum livro da autora e ja conhecia esse livro, mas não tinha vontade de ler não...mas a sua resenha me animou, pois me mostrou que não um livrinho mamão com açucar e que tem algo para mostrar e isso ja me deixou curiosa, vamos ver se futuramente eu leio.

    Brubs
    https://quemevcbrubs.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  3. Oi, Andy. Como vai? Eu não li este livro, aliás não li nenhum livro desta autora, mas tenho curiosidade de conhecer sua escrita. Particularmente eu gosto bastante de leituras que me fazem conhecer novas culturas, acho incrível isto! Fiquei com vontade de ler este livro. Gostei da capa! Abraço!


    https://lucianootacianopensamentosolto.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  4. Oi Andy, sua linda, tudo bem?
    Já me coloquei na pele da personagem desejando, sonhando, que ela reencontre esse rapaz e possa ter uma vida feliz, diferente da que foi planejada. Fiquei muito curiosa agora para descobrir como termina a jornada dela. Esse livro já está na minha lista e espero poder ler um dia. Sua resenha ficou ótima!!!

    beijinhos.
    cila.
    https://cantinhoparaleitura.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  5. Oie, tudo bem?
    Esse é um dos meus livros preferidos da Gayle Forman, adoro a narrativa e o desenvolvimento da história
    Blog Entrelinhas

    ResponderExcluir
  6. Oi Andy,
    Eu não conhecia livros dessa escritora, mas estou atualmente procurando novas escritoras e escritores, conhecer histórias novas sabe. Achei muito interessante os pontos que vc levantou e vou ficar de olho nessa obra.
    Bjos
    https://www.kelenvasconcelos.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi Andy!

    Eu já tinha ouvido falar desses livros mas não sabia muito bem do que se tratava e parecem ser bem legais!
    Achei legal isso de cada livro contar um ponto de vista, ´parece bem o tipo de livro que a gente lê pra sair da ressaca, já anotei a dica aqui, espero ler em breve e adorei teu texto!

    ResponderExcluir
  8. Oi Andy,

    Eu também pensei que o livro fosse um romance bonitinho e bem água com açúcar, porque acho que capa está transmitindo essa sensação. Por isso não dei muita bola para ele, pois no momento estou lendo outros gêneros. Mas vou deixar a sua dica anotada para dar uma lida neste romance contemporâneo.

    Bjos
    https://consumidoradehistorias.blogspot.com/

    ResponderExcluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

últimas resenhas