8.5.15

[Resenha] A Lâmina da Assassina :: Sarah J. Maas

A Lâmina da Assassina
Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 406
Skoob  | Goodreads | Compare e Compre
Conheça o caminho da assassina. Pavimentado com sangue, lágrimas e suor. Implacável, sedutora, letal. Poucos conhecem seu rosto, menos ainda sobrevivem à sua fúria. Não à toa Celaena Sardothian é sinônimo de morte. Suas lâminas são certeiras, assim como seu estranho código de honra e seu aguçado senso de justiça. Mas como uma menina, encontrada agonizando pelo rei dos Assassinos de Adarlan, se tornaria a campeã do rei? Disputada pelo capitão da guarda real e o próprio príncipe herdeiro? No centro de intrigas políticas? 
Acompanhe Celaena vencer um lorde pirata e toda sua tripulação; o encontro como uma curandeira; seu treinamento com o Mestre Mudo, senhor dos assassinos silenciosos, nas dunas do deserto Vermelho; a prisão nas Minas de Sal de Endovier; ou, ainda, sua luta contra o mais escorregadio e traiçoeiro dos adversários — o próprio coração.
Para os fãs da Assassina de Ardalan, esse livro de contos é uma grata leitura e para aqueles que não conhecem, este talvez seja um contato não imediato com a protagonista mas tão interessante e introdutor quanto. Sinceramente eu ainda não sei dizer se é melhor lê-lo depois de ler Trono de Vidro (primeiro livro da série) ou lê-lo antes... É um tanto quanto peculiar pensar nas duas sensações. Mas comentarei mais sobre isso adiante.



Celaena Sardothien é herdeira de Arobynn Hamel, Rei dos Assassinos, e é a melhor de Ardalan. Ninguém se compara a ela e sua lista de mortos é algo tão monumental que ela nem mesmo gosta de pensar a respeito, mas o que poucos sabem é que a maior assassina do império possui apenas dezesseis anos ou que assim como qualquer outra menina bonita ela goste de muitos mimos e roupas e sapatos caros.

- Por que ter tanto trabalho por escravos?
- Porque se não lutarmos por eles quem vai?

No primeiro conto encontramos a assassina assimilando a morte de um mentor querido e Arobynn temendo maiores complicações manda-a juntamente de Sam, o segundo melhor na guilda, para selar um pagamento pelas mortes de outros assassinos com o Lorde dos piratas.

Mas não é ouro que os espera e sim escravos, uma centena, com mais a caminho. Celaena sente o sangue ferver, como se a situação já não fosse ruim por ela ter que aturar Sam ainda mentiram para ela? Desde quando ela ajudará a tirar a liberdade de pessoas que apenas lutaram pela sua vida?
- Então roube o dinheiro e vá. Seu chefe merece ter a bolsa esvaziada. 
Yrene recuou.
- Não sou ladra. um sorriso malicioso.
- Se quer algo, tome. 
A garota não era como um incêndio descontrolado - ela era um incêndio descontrolado. Mortal e irrefreável. E levemente insana.

No próximo conto encontramos uma Celaena mal humorada e preocupada com seu novo aliado, fazia um mês que voltaram das ilhas do Lorde pirata e um mês que tudo havia mudado entre ela e Arobynn e entre ela e Sam. Um mês de hematomas nojentos de sua punição e agora ela estava ali pensando se seguia adiante com as ordens de Arobynn e ia para o Deserto ou se esquecia tudo e todos e partia para uma nova vida, mas uma jovem curandeira se mete em encrenca e Celaena não consegue apenas assistir.
A jovem deu um salto para trás, parando onde seu acompanhante estava apenas segundos antes, com o cuidado de evitar se chocar contra o mestre. Aquele era outro teste - um teste para ver em que nível poderia começar o treinamento. E se era digna.
E então chega o deserto e Celaena finalmente conhece o Mestre Mudo e ele não é nada do que ela esperava, e não só isso, ela também não é o que esperavam, sem falar que a atmosfera que cobre o local é algo completamente diferente do clima existente em sua guilda e isso a choca um pouco. Os dias se passam e ela vê suas chances de conseguir a carta de aprovação irem para o ralo, mas talvez ela esteja fazendo uma amiga e isso meio que compensa as coisas.
- Desculpe - disse ele.
Mais uma vez, as palavras sumiram dos lábios de Celaena.
Uma dor interna. Um orgulho ferido. E duas novas cicatrizes depois, Celaena está finalmente voltando para casa, ou o que ela chamava de casa, e para sua surpresa o alívio causado por rever Sam é maior do que ela imaginava que seria. Ele está bem, ele não foi machucado e agora ela quer mais do que nunca sua liberdade, e ela a terá mais antes ela precisa impedir um comerciante de entregar pessoas que são contra a escravatura e ela vai precisar da ajuda de Sam novamente.
- Quando morrermos, acha que seremos punidos pelas coisas que fizemos?
- Quando morrermos - falou Celaena -, não acho que os deuses sequer saberão o que fazer conosco.
Celaena sente que algo não está certo, depois da dura traição, que machuca seu coração a cada batida, ela só quer se ver livre, em paz, mas Sam pensa diferente, ele quer colocar a maior distancia possível entre eles e Arobynn, mas eles não tem dinheiro para pagar os impostos necessários e ainda fugir dali, eles precisam de um último trabalho. Eles precisam matar o Rei do Crime.

O livro segue a mesma narrativa de Trono de Vidro, ou seja, o narrador é em terceira pessoa e a narrativa acontece sob vários pontos de vista pertinentes ao momento, havendo a predominância de Celaena narrando.

Eu só tenho uma palavra para descrever essa leitura "AMEI!", desde o primeiro contato com Celaena eu a adorei, em todos e quaisquer sentido. Ela é forte, hábil, inteligente, ama ler e comer e ainda por cima sempre sai com a cabeça erguida, sem falar da sua confiança e sarcasmo. 

Mas alguns podem pensar "Ela é uma assassina...", verdade, mas ela só mata quem merece morrer, o seu senso de justiça e dever não se perdeu diante a realidade de seu trabalho.

Para os fãs da série eu só posso dizer que esse livro de conto esclarece muitos pontos citados nos dois primeiros volumes, Trono de Vidro e Coroa da Meia-Noite - só clicar nos nomes que serão direcionados para as respectivas resenhas -, como por exemplo um certo cavalo Asterion, ou quem é Sam, jovem tão citado mas pouco esclarecido e até mesmo quem no fim das contas é Arobynn e o que levou-a fazer o que fez.

E o livro nos encanta com o passado de nossa protagonista, e as palavras tecem um amor por esse novos (antigos) personagens e conforme se aproxima do fim, o peito se aperta e o sorriso vacila pois você sabe o que acontecerá a partir dali.

Já para aqueles que ainda não leram acredito que possa ser bem interessante ler este livro de contos antes de iniciar a saga, na verdade eu até recomendo, assim quando ler Trono de Vidro já sabe do que Celaena é capaz e quem ela foi.

6 comentários:

  1. Oi :) Tudo bem?
    Li Trono de Vidro o mês passado, graças a uma leitura conjunta no goodreads, e achei maravilhoso. Celaena tornou-se uma das minhas personagens favoritas e fiquei super feliz quando soube que a série ia ser lançada cá, em Portugal. Quero muito ler esse livro também, com os contos, e pelo que descreveu acho que vai ser tão bom <3
    Beijo
    www.fofocas-literarias.blogspot.pt

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oie Jessie.
      Menina esse livro é muito bom também! Adoro essa saga e espero que possa ler logo e gostar tanto quanto eu.
      Bjinhos e obrigada pelo comentário.

      Excluir
  2. Muito interessante esse livro *-*
    Nunca tinha ouvido falar rsrs

    www.chaeamor.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Camila!
      Pois procure agora menina, é maravilhoso esse livro, a escritora sabe ser fantástica!
      Bjokas

      Excluir
  3. Está ai uma série que preciso ler, mas infelizmente só tenho encontrado num valor muito elevado. Mas continuo procurando! Quero conhecer muito esta assassina!

    Beijos,
    Joi Cardoso
    Estante Diagonal

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Joi.
      Já olhou na Amazon? Lá está mais baratinho, fica a dica. Espero que possa ler logo!
      Bjs

      Excluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo