29.12.15

[Meus devaneios] Uma parte de você


Diante da quantidade exorbitante de términos de namoro que eu tenho presenciado não consigo simplesmente não processar meus pensamentos conflitantes e desenrolar meus pronunciamentos.
O processo de gostar e depois amar alguém é engraçado, começa com coisas em comum, que se desenvolve pelo apreciar da presença dela e então para a preocupação para com ela e depois então a tão inevitável possessividade amorosa, mas será que é só isso? Ao meu ver não.

É engraçado ter tempo para observar pessoas apaixonadas, elas nunca notam os olhares carregados de carinho e mais alguma coisa que as vezes lançam um para o outro, nem o sorriso que escapa quando seu parceiro faz algo que simplesmente lhe surpreende, nem como as mãos procuram o outro sem nem mesmo notar. Eles não notam o quanto estão imersos em si mesmo, nem mesmo o quanto eles parecem gravitar e se doar, o tempo apaixonado nos torna mais bonitos, porque sempre é bonito ver alguém amando, pois amar é isso, irradiar a ponto de alcançar o outro.

Então eu não consigo entender a lógica por trás dos términos, como de repente você pode completamente odiar e apagar alguém que um dia te fez tão bem? Se não for em respeito aos últimos tempos, que provavelmente não foram tão bons, talvez em respeito a todo o resto? Apesar de nossa vida nos pertencer, ela é povoada pelas pessoas que transitam por ela, pois a vida é isso, transitoriedade. E nós somos como os trens, sempre passando por estações, algumas são fechadas, outras abertas, mas isso não muda o nosso trajeto, não muda nossa rota, quem já esteve em seu coração fez mudanças e isso não muda.

Eu vejo namorados se deletando das vidas uns dos outros, apagando fotos, excluindo amigos, se bloqueando e não consigo deixar de repuxar os lábios, como se apaga um tempo de sua vida? Como se esquece todas as boas lembranças de uma pessoa? Como o amor que um dia você disse genuíno se apaga tão rapidamente e se transforma em ódio? Eu já deixei pessoas irem embora da minha vida, foi doloroso e cheio de mágoa, mas eu não esqueci o amor que um dia eu já senti por ela, não esqueci que seu sabor favorito de pizza era mussarela e que a melhor bebida era Coca, e nenhuma das coisas que aprendi com ela ou que passei a gostar por conta dela e nem quero! Isso faz parte de mim.

Então, não sei, tentem se lembrar que a vida é curta demais para nos darmos o luxo de ficarmos apagando pedaços de nossas vidas e não... Não estou dizendo que todos os términos devem ser assim, há casos que o melhor é esquecer e pessoas que nos usam de tal maneira que só merecem nosso ódio, mas aqueles, aqueles que te completavam, que te animavam, que te fizeram crescer e sorrir e pensar que a vida poderia para ali... Não esqueça isso, não destrua o que um dia te fez tão bem, não jogue pela janela momentos tão preciosos, o amor nem sempre vem sem dor, como Manuel Bandeira disse "A saudade é um bem mais precioso que a felicidade, pois nos esquecemos que a saudade é a felicidade que ficou", um amor que doí só doí porque um dia foi muito bom, não se esqueça disso. Não se esqueça que o ser humano é sempre capaz de amar novamente, por mais que pareça impossível, e por mais que nunca seja igual.

Assim não se desespere, nem tente apagar, você não precisa ser assim, se dê um tempo, e um dia, você vai lembrar de tudo isso com um sorriso no rosto, pois faz parte de você, te fez crescer e te levou para onde você está hoje. 

1 comentários:

  1. Esse seu último parágrafo resumo MUITO bem o que eu sinto e penso em relação a isso... Não adianta criar raiva e achar que está tudo perdido, tudo isso faz parte do calor do momento, mas dura um tempo e o bom, no final, é cultivar e lembrar com carinho dos momentos bons, das coisas que você aprendeu durante tudo isso, o bom é ver que não foi tempo perdido e nada é em vão...
    Adorei o texto!
    Beijos e um feliz 2016!
    www.vidaemmarte.com.br

    ResponderExcluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo