7.3.16

[Resenha] Uma Chama Entre As Cinzas :: Sabaa Tahir

Uma Chama Entre As Cinzas #1
Autora: Sabaa Tahir
Editora: Verus
Páginas: 432
Laia é uma escrava. Elias é um soldado. Nenhum dos dois é livre. No Império Marcial, a resposta para o desacato é a morte. Aqueles que não dão o próprio sangue pelo imperador arriscam perder as pessoas que amam e tudo que lhes é mais caro. É neste mundo brutal que Laia vive com os avós e o irmão mais velho. Eles não desafiam o Império, pois já viram o que acontece com quem se atreve a isso. Mas, quando o irmão de Laia é preso acusado de traição, ela é forçada a tomar uma atitude. Em troca de ajuda de rebeldes que prometem resgatar seu irmão, ela vai arriscar a própria vida para agir como espiã dentro da academia militar do Império. Ali, Laia conhece Elias, o melhor soldado da academia - e, secretamente, o mais relutante. O que Elias mais quer é se libertar da tirania que vem sendo treinado para aplicar. Logo ele e Laia percebem que a vida de ambos está interligada - e que suas escolhas podem mudar para sempre o destino do próprio Império.
Se você é um fã de distopias e se identificou com Jogos Vorazes, Divergente e Percy Jackson, você tem que ler Uma Chama Entre As Cinzas. Esse livro veio para preencher o vazio deixado depois de ler outras distopias bem escritas, com personagens fortes e um enredo bem elaborado. 

Uma Chama Entre As Cinzas conta a história de dois personagens principais em posições sociais diferentes, mas que tem o poder de mudar o curso da história: Laia e Elias. 

Elias é o principal soldado da academia militar de Blackcliff, que treina uma pequena “elite” da sociedade para virarem Máscaras. Os soldados são apenas de um pequeno grupo de famílias e as crianças são colocadas na academia desde cedo. Estes, se tornam soldados letais que tem apenas um único objetivo: servir o Imperador e manter a ordem no Império. O problema é que Elias nunca quis ser um Máscara e tem planos para fugir da academia assim que se formar para não ter que fazer parte de uma cultura na qual não acredita. 

E do outro lado, temos Laia, que faz parte da sociedade oprimida pelo Imperador. Ela mora com os avós e o irmão mais velho, já que perdeu ambos os pais para a rebelião quando ainda era mais nova. Até que um dia um Máscara aparece em sua casa, mata os avós na frente de Laia e captura seu irmão mais velho, considerado um traidor. Depois de conseguir escapar sem nem ter tentado ajudar a família, a culpa cai sobre Laia e ela decide se juntar à rebelião e se infiltrar como espiã na academia Blackcliff para descobrir onde seu irmão está. 
"Você é uma chama entre as cinzas, Elias Venturius. Você vai brilhar e queimar, devastar e destruir. Você não pode mudar isso. Não pode parar."
É no meio dessa academia extremamente rígida e extremista que Laia e Elias se conhecem. Apesar de não terem muito contato e não se conhecerem bem, há uma grande simpatia entre eles, já que, de uma forma ou de outra, os dois estão presos em uma situação da qual tentam escapar constantemente. 

A narrativa é contada em primeira pessoa, sendo que os capítulos alteram entre o ponto de vista de Elias e de Laia, o que nos faz entender perfeitamente os dois lados de uma sociedade violenta e autoritária e como cada grupo de pessoas reage a isso. 

Além disso, personagens secundários nesse livro também possuem histórias muito interessantes. Por exemplo, Helene é uma Máscara e melhor amiga de Elias. Porém, na academia Blackcliff, há apenas espaço para uma Máscara mulher por geração, colocando assim uma grande pressão em Helene, que também tenta ser um soldado perfeito. No meio de todas as suas convicções de ser Máscara e defender o Império, ela passa por uma batalha interna entre servir como soldado e ajudar seu melhor amigo a desertar. 




Eu li a versão em Inglês desse livro, então tenho uma capa um pouquinho diferente. A versão americana é igualzinha à brasileira, o que eu achei interessante. 






Porém, eu comprei a versão britânica, que eu achei representar melhor a história, além de ser também muito linda com a capa dura. Os termos usados nesse livro tornam a história um pouquinho mais difícil de entender, já que é uma distopia e são muitas palavras novas, mas indico para quem tem um inglês um pouquinho mais avançado.

É um livro incrível, com personagens extremamente fortes e que se desenvolvem muito bem quando seus princípios são colocados à prova e precisam tomar decisões extremas. Tudo nesse livro beira o extremo e a morte está sempre apenas uma página a distância. Acabou sendo uma das melhores distopias lançadas em 2015 e foi um dos indicados do Prêmio Goodreads.


7 comentários:

  1. Oiieee

    Amo esse livro! Foi uma das minhas leituras de 2015, o personagem da Laia era meu favorito. Aiii esperando com muita angustia pela continuação

    Beijokas

    naprateleiradealice.blogspot.com.ar

    ResponderExcluir
  2. Brunnnna, eu to maluca para ler esse livro! Essa ideia de treinarem para ser de um exército de Elite desde pequenos é o máximo. Espero gostar tanto quanto vc. Me sinto órfã de distopias também.
    Beijoo, Mari

    ResponderExcluir
  3. Olá, Bruna.
    Eu quero ler esse livro desde que lançou porque amei a capa dele. Mas nem sabia que era distopia. Achei o enredo bem parecido com Legend, pelo menos a ideia inicial. E como amei Legend e se for um pouquinho parecido já estou no lucro hehe. Assim que der eu vou ler ele.

    Blog Prefácio

    ResponderExcluir
  4. Confesso que eu não sabia que era uma distopia, se eu soubesse teria lido bem antes! Eu amo o gênero e sempre busco encontrar novas obras. Adorei tudo o que você falou sobre a história, e tenho absoluta certeza de que vou amar a leitura.
    beijos
    www.apenasumvicio.com

    ResponderExcluir
  5. Oi Bruna,
    Já faz um bom tempo que quero ler esse livro e apesar da dúvida, fiquei com muita vontade depois que você falou que é uma distopia para os fãs de Jogos Vorazes, que é uma trilogia que amo. Amei essa edição britânica que você tem. Espero amar esse livro também.

    http://umrascunhoamais.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  6. Olá, Bruna!
    Esse não é o tipo de história que me atrai, mas adorei a sua resenha, super informativa! Adorei também as fotos que você tirou, super criativas!
    Realmente a princípio, parece um clichê (mocinho e mocinha em posições muito diferentes da sociedade). Mas parece que a história se desenvolve bem, pelo que você conta!
    Adoro quando o autor narra a história pelos pontos de vistas de mais de um personagem!
    Vou indicar aos amigos que curtem esse gênero!

    Beijos!

    Karla Samira
    http://www.pacoteliterario.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Oi, Bruna!
    Não sou muito leitora de distopias, foram poucas as que me interessaram e continuaram na lista de leituras, como Reiniciados, da Teri Terry, mas essa também tem me chamado a atenção, principalmente pelos elogios à condução da história e seus personagens. Espero poder lê-lo logo mais e tirar minhas próprias conclusões, parece ser uma trama realmente envolvente e ágil.
    Beijos!

    ♥ Sâmmy ♥
    ♥ SammySacional ♥

    ResponderExcluir

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

O StarBooks é onde trocamos figurinhas sobre livros, lançamentos literários e suas adaptações, entre outras coisas; sempre com o objetivo de incentivar a leitura independente de gênero. (Mais?)

 
StarBooks © Todos os direitos reservados :: voltar para o topo