controles do slide

18.12.17

[Resenha + Trila Sonora] Trago seu amor de volta sem pedir nada em troca :: Ique Carvalho

Trago seu amor de volta sem pedir nada em troca
Autor: Ique Carvalho
Editora: Sextante
Páginas: 240
Skoob  | Goodreads | Amazon
A vida de Ique Carvalho era tranquila e parecida com a de muitos jovens de Belo Horizonte, sua cidade natal. Ele morava com os pais e os irmãos, era apaixonado pela namorada e trabalhava na agência de publicidade da qual era sócio. Suas impressões sobre o cotidiano iam para o blog The Love Code, onde podia dar vazão ao seu talento para escrever. Até que, em 2013, dois fatos fizeram tudo virar de ponta-cabeça. Na mesma semana, seu namoro teve um fim traumático e o pai recebeu o diagnóstico de uma doença degenerativa grave, que o mataria aos poucos. Sem chão e em meio a um turbilhão, foi no blog que encontrou refúgio para expressar seus sentimentos. Os textos fortes e genuínos acabaram viralizando, popularizando o site e dando a Ique milhares de fãs e seguidores. Suas palavras possuem o incrível dom de ser, ao mesmo tempo, simples e profundamente verdadeiras, traduzindo o que há de mais puro e desejável no amor. Essa mesma capacidade de causar impacto e despertar as emoções dos leitores permeia as reflexões tocantes de Trago seu amor de volta, seu aguardado segundo livro solo. Ique mais uma vez demonstra sua vocação única como cronista do amor em todas as suas expressões.
Não é de hoje que eu declaro por aí meu amor pelo Ique, acho inclusive que ele fica num lugar bem querido dentro do peito e de destaque na prateleira, por isso quando surgiu a chance de ler mais um de seus livros eu nem mesmo hesitei e falei logo "QUERO PARA ONTEM!"

Seguindo o mesmo esquema de seu outro livro, "Faça amor, não faça jogo" - que tem resenha fofinha e maravilhosa aqui - Ique Carvalho nos leva por uma narrativa de sentimentos e relacionamentos através de contos que envolvem suas experiências, pensamentos, sentimentos e crenças sobre o amor. Com uma trilha sonora divina e completamente pertinente, para que você leia os contos ao som dela, tornando assim a leitura mil vezes mais intensa.

Eu já que sou do tipo que lê ouvindo músicas, afinal estou sempre em trens, metrôs e ônibus com meus livrinhos amados e convenhamos que dá uma dor na alma pensar em ler ouvindo o falatório alheio. Por isso eu sempre quero chorar de felicidade e abraçar esse homem quando ele não só nos indica o som perfeito mas também cria a playlist no Spotify!

Agora galerinha, aqui vai um fato. Não sou do tipo chorona e toda emotiva, me considero bem racional e mesmo assim consigo ser do tipo romântica que acredita que o amor é mais do que dar e receber, que sabe que amar envolve duas pessoas mas que na maior parte do tempo é você sendo feliz ao ver o outro feliz, que pensa que amar o próximo é se jogar de uma grande altura e torcer para ter uma rede de segurança lá embaixo, porque amar é se envolver e se envolver é ter 50% de chances de ser a pessoa mais feliz do mundo e 50% de ser a mais miserável.

Então o que eu quero dizer é que ler os livros do Ique e seus pensamentos - lindos sentimentos e verdades em forma de poemas e textos líricos - faz com que eu me torne a pessoa mais mole do mundo. Não dá para se controlar. A maneira como ele expõe o amor é linda e intensa, tão intensa que te faz rir  e chorar.

Talvez muitos - aqueles que não conhecem seu trabalho - não saibam de seu amor por seu pai, que percorreu uma longa jornada doente e faleceu recentemente, mas eu não só conheço como me identifico muito com ele nesse aspecto. Seu pai era como meu avô para mim, e a dor da perda ainda recente de ambos faz com que meus olhos se encham de lágrimas só de pensar no tipo maravilhoso de pessoas que eles eram.

O Ique sempre fala bastante de sua família, mas seu pai é relatado como seu herói. O amor dele por sua mãe e por ele são os faróis para a construção de seus pensamentos e crenças sobre o amor, e gente... O pai dele foi diagnosticado com uma doença degenerativa e fatal, a partir daquele momento ele estaria com os dias contados por uma doença que aos poucos o paralisaria totalmente. 

Numa situação dessas a maioria das pessoas desaba, mas não é o caso dessa família amável, seu pai se tornou mais amoroso que nunca e fez cada dia ao lado da mulher que ama valer a pena, pois não sabia quando seria o último, Ique se tornou um filho mil vezes mais presente, colocando a vida de seu pai e o conforto e apoio em sua difícil jornada em primeiro lugar, sua mãe se tornou uma mulher ainda mais forte que estava sorrindo mesmo quando sua vontade era chorar ao ver o amor de sua vida doente. E em meio a tudo isso Ique encontrou e desencontrou o amor muitas vezes nos mais variados tipos de sentido e situação.




E eu juro que poderia continuar a falar e falar e continuar a me emocionar com esse homem e seu livro e seus textos e todos os tapas na cara e pulos no coração que eu senti durante a leitura dessa obra. Mas no fim o bom mesmo é ler sem saber muito para sentir o baque, com força. Com Ique Carvalho ler é como amar, começar torcendo pela rede de segurança, só que tendo 100% de certeza que você irá chegar ao fim sorrindo.

Em vida, meu pai amou as pessoas em vez das coisas.
E agora que ele partiu, em vez de chorar,
vou agradecer por todo o tempo que eu tive ao lado dele,
aprendendo, vivendo
e por ele ter deixado a única coisa que realmente tem valor:
o amor.


Escrito por
Agatha

comentários pelo facebook:

Nenhum comentário

Postar um comentário

A sua opinião é muto importante para nós. Obrigada!
Os comentários do blog passam por moderação antes de serem publicados.

últimas resenhas